Vida Urbana

Ultrassom que promete revolucionar exames é lançado em João Pessoa

Ideia é que aparelho seja um estetoscópio do futuro; foco é mobilidade e praticidade.




O primeiro equipamento de ultrassom sem fio da América Latina foi lançado em João Pessoa no II Simpósio de Radiologia Geral e Pediátrica no Conselho Regional de Medicina da Paraíba. O Mobissom é um equipamento de ultrassonografia portátil que funciona conectado a smartphones ou tablets. O foco do aparelho é oferecer maior mobilidade, agilidade e fácil acesso nos cuidados com o paciente.

"Ele é o primeiro ultrassom sem fio da América Latina. Não existe nenhum outro do tipo na região americana", revelou o doutor Hugo Lopes, representante da empresa.

O aparelho se conecta em tablets ou smartphones, via wireless (internet sem fio), mas seu funcionamento acontece também sem rede Wi-Fi. O médico pode baixar o software e atualizações de forma gratuita. O aplicativo funciona de forma intuitiva, facilitando seu uso. O aparelho tem apenas três botões. Há dois modelos de Mobissom, uma sonda abdominal (convexo) e uma sonda esquelética (linear). As especificidades podem ser vistas no site do aparelho.

O mobissom é um equipamento pessoal, considerado um dos menores do mercado – o que auxilia na sua mobilidade, configurando-se como portátil e de fácil transporte e manejo. "A mobilidade é um diferencial. Um obstetra pode fazer um melhor homecare [atendimento domiciliar], ver também a posição do bebê na hora do parto; médicos verem veias para auxiliar colocação de acessos ou aplicação de injeção na coluna no momento do parto, por exemplo", explicou Hugo Lopes.

A ideia é que seja um estetoscópio do futuro. Onde ao invés de ouvir, o médico vai ver. "Queremos que ele funcione como um scanner no corpo da pessoa. E, a partir da triagem, ele [o médico] pode seguir com procedimentos específicos para o que foi analisado através do equipamento", afirmou o representante.

Como funciona no smartphone ou tablet, o médico pode fazer uma ultrassonografia em uma grávida, salvar a imagem do bebê no smartphone e compartilhá-la através do WhatsApp com o pai da criança que estiver conectado em qualquer parte do mundo.

A tendência é que nos próximos anos a ultrassonografia vai estar cada vez mais presente em todas as áreas da medicina, e o aparelho surge como vanguarda nos cuidados ao paciente. O foco é a mobilidade e praticidade. "Não é o paciente que vai até a ultrassom, a ultrassom que vai até o paciente", concluiu Hugo Lopes.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.