Vida Urbana

Trauma de João Pessoa tenta identificar pacientes internados

Unidade de saúde usa diversos recursos para tentar localizar parentes de pacientes não identificados.



Francisco França
Francisco França
Pessoas com parentes desaparecidos podem entrar em contato com o Hospital de Trauma de João Pessoa

Pacientes sem identificação ou com parentes não contatados dão entrada diariamente no Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa, o que de acordo com a coordenadora do Serviço Social do hospital, Francisca Neuma Ribeiro, muitos acabam sendo enterrados como indigentes, apesar de o hospital buscar identificá-los.

“Muitas pessoas chegam sem documentação e permanecem inconscientes por muito tempo, sem conseguir dizer onde moram ou até mesmo fornecer os contatos dos parentes, o que dificulta a identificação. Alguns chegam até mesmo a ir a óbito e acabam enterradas como indigentes”, afirmou.

Segundo a assessoria de comunicação do hospital, quando os pacientes chegam a receber alta, sem que o Serviço Social tenha conseguido localizar algum familiar, o mesmo é encaminhado com apoio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Humano (Sedh) às casas de acolhida da capital. Já quando os pacientes sem identificação vão a óbito, o hospital faz um Boletim de Ocorrência e entrega o corpo para a Gerência Executiva de Medicina e Odontologia Legal (Gemol) ou para o Serviço de Verificação de Óbitos (SVO), que dão o procedimento necessário para o enterro dos corpos.

O caso mais recente foi do morador de rua identificado como José Rodrigues, 47 anos, que esteve internado no Hospital de Trauma, desde o começo de outubro, vítima de ferimento de arma branca, mas faleceu na última semana e não teve a família localizada.

Conforme explicou a coordenadora Francisca Neuma, sempre que um paciente não é identificado, o Serviço Social do Trauma busca informações com os responsáveis pelo transporte, como Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Polícia Militar ou até mesmo os Postos de Saúde da Família (PSF) nos bairros de João Pessoa, que muitas vezes conseguem descobrir a identidade das vítimas e contatar os familiares.

Francisca Neuma acrescentou que o Serviço Social também recorre às redes sociais. “Também divulgamos as informações sobre estes pacientes no Twitter e no Facebook do Trauma e através de nossa assessoria de imprensa, o que normalmente acaba por fazer com que o paciente seja identificado e receba apoio familiar”, destacou.

Ao finalizar, Francisca Neuma informou que pessoas com parentes desaparecidos podem entrar em contato com o Hospital de Trauma de João Pessoa pessoalmente ou através do telefone 3216-5732 para ver a possibilidade de encontrá-lo na unidade hospitalar.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.