Vida Urbana

Terrenos baldios viram lixão e facilitam crimes na capital

Acúmulo de lixo e entulho, crescimento de mato e possível esconderijo para animais e criminosos são preocupações de quem mora perto de espaços como estes.




Mesmo com a expansão imobiliária de João Pessoa, o bairro do Jardim Cidade Universitária sofre com os problemas trazidos pelos terrenos baldios. O acúmulo de lixo e entulho, o crescimento de mato, o possível esconderijo para animais e criminosos são preocupações de quem mora perto de espaços como estes.

Um exemplo de como estes locais podem atrapalhar a vida dos moradores, são os terrenos baldios que ficam nas ruas Celina Soares de Azevedo e Rejane Freire Correia, no bairro do Jardim Cidade Universitária. A principal dentre as várias reclamações de quem vive na área é a falta de segurança do local.

De acordo com os moradores, alguns destes espaços facilitam a ação de criminosos, como relata a cabeleireira Lucileide Pereira, que disse sentir medo de chegar à noite por causa do terreno baldio em frente a sua casa. “Teve uma vez que eu esqueci minha bolsa no carro, que estava na calçada da minha casa. Levaram minha bolsa e só depois eu encontrei neste terreno aqui na frente. Ainda bem que deixaram meus documentos. Mas com certeza, o mato alto do terreno fez com que a pessoa que furtou minha bolsa se escondesse e ninguém visse”, contou a cabeleireira.

Existem três terrenos baldios na rua em que Lucileide Pereira mora. A cabeleireira relatou que algumas casas da região já foram assaltadas. Para ela, se os proprietários ou a Prefeitura de João Pessoa tivessem a iniciativa de limpar o mato que cresce dentro dos lotes, as ações criminosas poderiam diminuir.

A cabeleireira comentou ainda que não aumenta o muro da sua casa para continuar a ter visão do que acontece no terreno de frente. “A gente precisa se prevenir. Com o muro baixo, eu vejo todo o movimento. Se alguém sair de lá e entra na minha casa, eu consigo ver com tempo de pedir socorro ou ligar para a polícia. A maioria das casas da área que tem muro alto já foi assaltada. Eu vi uma reportagem dizendo que os bandidos preferem casas com muros altos, pois ninguém vê que tem algo diferente acontecendo”, afirmou.

O funcionário público e ator Marcos Vinícius Barreto, que também mora em uma das ruas visitadas pela reportagem do Jornal da Paraíba, corrobora com a opinião da vizinha. Ele conta que certa vez estava em casa e recebeu a ligação de um amigo avisando que tinha alguém colocando um andaime no lado de fora do muro da sua casa.

“Eu tomei um susto, pois não estava fazendo reforma. Ainda assim saí para ver o que estava acontecendo. Quando cheguei aqui fora não tinha mais ninguém, mas o andaime estava lá. Eu quebrei o negócio todinho”, disse o funcionário.

O comandante da Região Metropolitana de João Pessoa, coronel Jéferson Pereira, recomendou que os moradores registrem a ocorrência na delegacia mais próxima ou ligue para o 190 quando forem assaltados. Segundo ele, só desta forma pode ser feita a mancha criminal do local e, assim, o policiamento aumente na região.

“Nós não temos muito o que fazer na questão dos terrenos baldios, pois eles são de responsabilidade do proprietário ou da Prefeitura de João Pessoa. Mas pedimos aos moradores de regiões onde existe este tipo de espaço que quando sofrerem alguma ação de criminosos denunciem. Com isso, o caso entra para as estatísticas da Secretaria de Segurança Pública. Quando o planejamento de policiamento estiver sendo feito, estes dados são levados em conta e pode-se aumentar o efetivo na área”, ressaltou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.