Vida Urbana

Suspeito diz que matou empresária após ficar com mão presa no carro

Ele foi preso no Rio Grande do Norte e apresentado em Campina Grande. 



Reprodução/TV Paraíba
Reprodução/TV Paraíba

O suspeito de matar a empresária Célia Márcia Santos Cirne, 69 anos,  em Campina Grande, preso na terça-feira (21), confessou que matou a vítima após ficar com a mão presa no vidro do carro. Cícero Elisson Batista da Silva, de 25 anos, foi preso na cidade de Natal, no Rio Grande do Norte e apresentado durante coletiva de imprensa realizada ontem, na Central de Polícia, no bairro do Catolé. A polícia descartou participação do primeiro suspeito preso em dezembro do ano passado. O crime ocorreu no dia 24 de dezembro de 2016.

Conforme a delegada titular da delegacia de homicídios, Ellen Maria, o suspeito confessou o crime e deu detalhes da ação. “Ele [Cícero] informa que na hora do roubo ordenou para que a vítima descesse do veículo e no momento de tensão o vidro começou a se fechar e o suspeito ficou com as mãos presas. O suspeito disse que foi nesse momento que disparou e atingiu a vítima na região do pescoço e ainda a empurrou para que ela voltasse para o banco”, disse.

Ainda de acordo com a delegada, o crime foi premeditado e o suspeito disse no depoimento que o objetivo era roubar o carro da vítima. A polícia informou que os suspeitos tinham informações da vítima, mas não confirmou se há mais pessoas envolvidas no crime, apenas disse que talvez os próprios criminosos tenham feito esse monitoramento da empresária.

Cícero era considerado foragido, pois tinha um mandado de prisão preventiva contra si. A operação que resultou na prisão foi feita pela Delegacia de Homicídios de Campina Grande e a Especializada em Furtos e Roubos de Natal. O suspeito foi identificado pela Polícia Civil ainda em meados de janeiro, quando foi expedido o mandado de prisão preventiva. Ele apontado como sendo o autor do tiro que matou Célia.

A polícia já havia realizado as prisões de outros dois suspeitos. O primeiro foi Bruno Flanklyn Sousa Santos, 24 anos, preso no dia 28 de dezembro e liberado após decisão judicial. A delegada afirmou que após a análise dos depoimentos dos outros suspeitos, não há indícios de que Bruno tenha participação no crime e que ele havia sido preso depois de reconhecimento de testemunhas.

No começo de janeiro, Thiago Henrique de Lima, de 26 anos, foi detido no bairro da Liberdade, em Campina Grande. Apontado como condutor da motocicleta usada na ação, ele confessou a participação.

A empresária Célia Márcia Santos Cirne, foi morta na tarde do dia 24 de dezembro, quando saía de um estacionamento de uma loja no Centro da cidade e foi abordada por um homem armado. Conforme os levantamentos realizados pela Polícia Civil , a vítima se assustou e o suspeito entendeu que seria uma reação e atirou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.