Vida Urbana

Surge novo caso de superbactéria e MP faz inspeção no Ortotrauma

Depois de morte de idosa, Ministério Púbico realiza na manhã desta quarta-feira (17) uma inspeção no Complexo Hospitalar Governador Tarcísio Burity, o Ortotrauma, em Mangabeira.




Inaê Teles

Após a morte de uma idosa infectada pela Klebsiella Pneumoniae Carbapenemase (KPC), a superbactéria, o Ministério Púbico da Paraíba realiza na manhã desta quarta-feira (17) uma inspeção no Complexo Hospitalar Governador Tarcísio Burity, o Ortotrauma, em Mangabeira, na Capital. Um outro caso da doença foi constatado no hospital Samaritano. Uma senhora de 68 anos está internada na UTI contaminada pela superbactéria, entretanto aSecretaria de Estado da Saúde da Paraíba ainda não divulgou um balanço oficial sobre os casos.

O promotor da Saúde de João Pessoa, João Geraldo, e os representantes do Conselho Regional de Medicina (CRM) acompanham a inspeção. Ainda nesta quarta-feira a Secretaria de Estado da Saúde da Paraíba deve enviar um balanço com os casos registrados da doença neste ano nos hospitais da região.

Na manhã da terça-feira (16) a paciente Lenira Azevedo Maia, de 78 anos, morreu no Ortotrauma infectada pela KPC. O diretor-técnico da unidade hospitalar, Roberto Santos, confirmou que, além da paciente estar com a superbactéria, ela também apresentava outras complicações de saúde. Ele disse que a idade avançada agravou o quadro da paciente. A família da paciente denuncia que houve negligência médica.

Lenira Azevedo Maia procurou o hospital em abril após sofrer uma fratura no fêmur. Ela aguardou três meses até receber uma prótese, mas o corpo acabou rejeitando. A paciente mais uma vez passou por uma cirurgia. O diretor-técnico disse que não houve negligência e explicou que nestes casos existe todo um trâmite para aquisição do material.

Após o precedimento cirúrgico a paciente foi encaminhada para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e foi lá que Lenira contraiu a KPC de uma outra paciente. “Ela pegou a bactéria de uma paciente que a gente não sabia que tinha. Nós ainda não tínhamos recebido o exame dessa outra paciente”, lamentou Roberto Santos.

Inspeção

Durante a inspeção no Ortotrauma, o promotor João Geraldo constatou que o local em que Lenira Azevedo Maia estava internada já foi devidamente higienizado. Os exames realizados nos três pacientes que tiveram contato com Lenira na UTI mostraram que eles não foram contaminados pela KPC. Já a paciente que infectou Lenira está em uma ala isolada. As equipes ainda seguem realizando a inspeção no Ortotrauma, em Mangabeira.

Outro caso

A infectologista do hospital Samaritano, Helena Germóglio, confirmou que na unidade hospitalae está internada uma paciente de 68 anos contaminada pela KPC. "Ela está internada há quase três meses e só agora contraiu a bactéria. Esses casos são comuns nos hospitais", explicou a infectologista Helena Germóglio.

A filha da paciente disse que houve negligência médica. "Tenho certeza que ela foi contaminada por um catéter que estava sujo. Eles só vieram dar máscaras e batas a partir de sexta. Vamos entrar na Justiça porque eles também deixaram minha mãe cair no chão", lamentou a filha da paciente.

Mortes

Este ano já foram registrados três casos de morte pela superbactéria na Capital. O primeiro caso foi o de um bebê de cinco meses que estava internado no Hospital da Unimed. O hospital demorou uma semana para notificar a SES sobre o caso. O segundo registro foi o de uma mulher que estava internada no Hospital Edson Ramalho, que informou a presença da bactéria de imediato.

Atualizada às 12h25



Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.