Vida Urbana

Silos se rompem e trigo que estava armazenado soterra três vacas

Cerca de 30 minutos antes do rompimento, o equipamento estalou várias vezes.




Dois silos de trigo romperam na tarde desta quinta-feira (22), em Cabedelo, na Grande João Pessoa. De acordo com o sargento Waldir Pereira, da Polícia Ambiental, três vacas que estavam na região foram soterradas pelo cereal e acabaram morrendo. Nenhuma pessoa ficou ferida.

Segundo o sargento Waldir, funcionários responsáveis pela manutenção dos silos relataram que, cerca de 30 minutos antes do rompimento, foram percebidos estalos nos equipamentos. Por isso, a empresa conseguiu antecipar a retirada de funcionários e de outras pessoas da área em volta dos silos. Apenas uma perícia técnica vai poder especificar a causa do rompimento dos silos.

Conforme o sargento, pessoas da região estavam cortando pedaços das vacas mortas quando a polícia chegou. A Polícia Ambiental informou que vai apurar se houve danos ambientais causados pela empresa. A área está sendo isolada para evitar que curiosos sofram algum acidente.

O JORNAL DA PARAÍBA entrou em contato com a empresa responsável pelos silos. A empresa informou, em nota, que um equipamento de sustentação dos silos apresentou instabilidade e que 50 funcionários foram evacuados assim que o problema foi percebido. Confira a nota na íntegra:

 "O Grande Moinho Tambaú (GMT) informa que, durante a tarde de hoje, ocorreu um acidente com dois silos de armazenagem de trigo, sem que houvesse nenhum ferido. Por volta das 14h, a equipe de segurança do trabalho da empresa verificou que uma das longarinas de sustentação de um dos silos metálicos apresentava instabilidade. Imediatamente, os 50 funcionários do setor administrativo, que é próximo à área de armazenagem, foram evacuados. Uma perícia técnica será realizada para apurar o que causou o desabamento do equipamento, afetando também um silo próximo. Parte do trigo vazou na areia da praia deserta que fica ao lado da fábrica, mas não há qualquer risco de dano ao ecossistema. O Corpo de Bombeiros e a Polícia Ambiental foram acionados pelo GMT e todo o trigo será recolhido e direcionado a um aterro sanitário. Por fim, a empresa informa que adota as mais rigorosas políticas de segurança do trabalho, garantindo assim a integridade de seus colaboradores".

Funcionário morreu em acidente em fevereiro

Em fevereiro deste ano, um jovem morreu após cair em um dos silos. Ele fazia a limpeza do equipamento sem material de segurança.

 

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.