Vida Urbana

SES alerta municípios para risco de epidemia de coqueluche na PB

SES divulgou um alerta sobre o risco da doença e solicitou reforço da vigilância; registros entre menores de um ano corresponderam a 60,2 % do total.




Entre 1ª de janeiro e 26 de fevereiro deste ano, 32 casos de coqueluche foram contabilizados na Paraíba. As notificações, feitas apenas nos primeiros 57 dias deste ano, já correspondem a quase metade das 68 ocorridas em 2012 e, ontem, a Secretaria de Estado da Saúde (SES) divulgou um alerta para os municípios sobre o risco epidemiológico da coqueluche no Estado, solicitando reforço da vigilância sobre a doença.

De acordo com estatísticas divulgadas pela SES, a coqueluche está avançando na Paraíba. Entre 2007 e 2012, o Estado registrou 145 casos suspeitos da doença. Destes, 10 ocorreram em 2007. No ano seguinte, essa quantidade subiu para 28. Já em 2009, o total recuou para 7, mas voltou a subir em 2010, quando chegou a 9 notificações. Outro salto ocorreu em 2011, onde houve 23 contabilizações.

Ainda segundo a SES, a maioria das 68 notificações feitas em 2012 ocorreu entre a população infantil. Os registros entre paraibanos com menos de um ano de vida corresponderam a 60,2 % do total dos casos.

INCIDÊNCIA
Conforme a SES, a incidência dos casos notificados em 2013 foi 0,88 por 100 mil habitantes e já ultrapassou as taxas dos seis anos anteriores.

Os casos suspeitos devem ser notificados e os exames coletados e realizados, de acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde. Segundo a gerente executiva de Vigilância em Saúde da SES, Talita Tavares, os doentes com suspeitas de coqueluche ainda devem ser mantidos em isolamento respiratório durante cinco dias após o início do tratamento. Outra medida para barrar o crescimento da doença é imunização. A gestora destaca que os agentes de saúde precisam intensificar a vacinação contra a coqueluche nas áreas de convívio do paciente para evitar a transmissão. A vacina deve ser aplicada até em crianças que já tiveram a doença.

Altamente infecciosa, a coqueluche é uma doença que ataca a traqueia e os brônquios, dois órgãos do aparelho respiratório, causando principalmente tosses secas. Sem tratamento, o caso pode evoluir até a morte.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.