Vida Urbana

Servidores da saúde de Campina Grande paralisam atividades

Categoria reinvindica que o governo municipal apresente uma proposta para o Plano de Cargos, Carreira e Remuneração.



Leonardo Silva
Leonardo Silva

Cerca de 2 mil servidores municipais da saúde de Campina Grande vão paralisar suas atividades amanhã, reivindicando que o governo municipal apresente uma proposta para o Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração (PCCR) da categoria. A informação está de acordo com o Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema, que avaliava a possibilidade de fazer uma paralisação hoje também, caso não fosse efetuado o pagamento do Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade da Atenção Básica (PMAQ).

Até o fechamento dessa edição, o Sintab ainda não havia decidido se os servidores paralisariam suas atividades hoje, mas afirmou que amanhã, independentemente, a categoria realizará uma paralisação de advertência, tendo como principal reivindicação a apresentação da proposta do PCCR.

Segundo o vice-presidente do sindicato, Giovanne Freire, apenas os serviços essenciais estarão funcionando, como os hospitais e a Unidades de Pronto Atendimento (UPA).

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, uma comissão formada por representantes das diversas categorias de servidores da saúde tem se reunido periodicamente com a gestão municipal para corrigir algumas distorções do PCCR. Quanto ao pagamento do PMAQ, a pasta informou que o incentivo é repassado aos servidores apenas duas vezes ao ano e que o repasse de dezembro foi aportado na conta do Fundo Municipal de Saúde na última quinta-feira, de modo que a secretaria tem até cinco dias úteis para realizar o pagamento dos trabalhadores inscritos no programa.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.