Vida Urbana

"Seremos uma ponte entre a sociedade e suas expectativas depositadas na UEPB", diz Etham Barbosa

O professor é candidato a reitor na UEPB, onde as eleições acontecem na próxima quarta (21).




Foto: Divulgação

Lotado no Departamento de Biologia do campus da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), em Campina Grande, o professor José Etham Barbosa é um dos candidatos a reitor da UEPB. As eleições para eleger uma nova composição para reitoria da instituição devem acontecer na próxima quarta-feira (21), e por ordem alfabética, o JORNAL DA PARAÍBA ouviu as principais propostas Etham Barbosa.

Etham Barbosa é candidato à reitoria pela chapa “UEPB +”. A candidata a vice-reitora pela chapa dele é a professora Val Margarida, docente do Departamento de Educação do campus da UEPB em Campina Grande. Se eleita, a chapa pretende construir uma gestão participativa, inovadora e inclusiva.

Entre os primeiros atos de gestão, está o “resgate à autonomia administrativa da universidade”, segundo Etham. Ele pretende implantar progressões funcionais dos servidores técnico administrativos e docentes, e manter o diálogo junto às forças sindicais e ao Governo do Estado.

“Estando eleito, resgataremos a autonomia administrativa da universidade, implantaremos as progressões funcionais dos servidos administrativos e docentes, e juntos com os sindicatos manteremos a mesa de negociação com o Governo do Estado para implantar os retroativos. Nosso projeto dialoga com a nossa comunidade acadêmica ao mesmo tempo em que é uma ponte para a sociedade e suas múltiplas expectativas depositadas na UEPB como instituição.”, disse.

Para os servidores administrativos, Etham tem como propostas a implantação do horário corrido, por meio de um modelo híbrido de trabalho, com atividades presenciais e teletrabalho. As principais pautas destinadas à categoria são fincadas em uma cultura de respeito, valorização e empoderamento.

“Estimularemos valores através do reconhecimento do horário corrido, que será implantado com um modelo híbrido (com atividades presenciais e teletrabalho), e com a implantação de um programa de técnico pesquisador, possibilitando aos servidores com mestrado e doutorado a participarem da construção do conhecimento na UEPB. O empoderamento da categoria virá através da participação efetiva da gestão administrativa, sempre considerando o mérito da formação e as questões para o cargo”, comentou.

Para os alunos, Etham promete criar um cadastro social e iniciar uma política estudantil em três níveis: acesso, permanência e sucesso do egresso.  Ele também pretende implantar progressões de investimento na infraestrutura de laboratórios e salas de aula, e pretende criar políticas de incentivo à aproximação entre o ensino, pesquisa e extensão.

“Para trabalhar no acesso [dos alunos à universidade] vamos respeitar as cotas sociais e inovar com a reparação de cotas para as comunidades tradicionais, e a permanência de políticas de bolsa, com PIBIC, extensão, PIBID, residência e Restaurante Universitário. Vamos implantar políticas de incentivo à aproximação entre o ensino, pesquisa, a extensão de forma a consolidar o ensino técnico, a graduação e a pós-graduação por meio do trabalho de equipes multidisciplinares, formadas por docentes com diferentes perfis acadêmicos.”, explicou.

Sob supervisão de Jhonathan Oliveira*


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.