Vida Urbana

Secretários de Educação assinam convênio que destina R$ 4 milhões para 103 escolas na PB

Recursos ‘Educação Conectada’ vão atender Campina Grande e Sousa.




Secretários de Educação Aléssio Trindade (Estado) e Iolanda Barbosa (Campina Grande) assinam convênio com BNDES para investimentos em escolas

Três gestores de educação na Paraíba assinaram o convênio para receber R$ 4,1 milhões para investir em projetos de uso de tecnologias digitais em 103 escolas públicas, sendo 85 em Campina Grande e 18 em Sousa, no Sertão. As ações do programa Educação Conectada vão beneficiar 37,5 mil alunos e capacitar 2.470 professores.

A assinatura aconteceu em solenidade realizada na quinta-feira (14) no auditório da Escola Estadual Professor Bráulio Júnior, no bairro do Dinamérica, em Campina Grande. Assinaram o convênio o secretário de Educação do Estado, Aléssio Trindade, e a secretaria de educação de Sousa. Técnicos do BNDES também participaram da atividade e detalharam as ações que devem ser executadas no projeto para professores e gestores das escolas paraibanas contempladas.

“É uma conquista muito importante e positiva para Campina Grande. Pela primeira vez a Secretaria Municipal de Educação pactua o financiamento de um projeto pelo BNDES. É importante destacar a parceria com a Secretaria de Educação do Estado e a Secretaria de Educação do Município de Sousa. Nós construímos esse projeto, o qual concorreu e foi aprovado na chamada pública do BNDES”, destacou secretária de educação de Campina Grande, Iolanda Barbosa.

Paraíba entre cinco contemplados

Em todo o país serão R$ 21,9 milhões e os recursos são do BNDES e a ação é realizada em parceria com o Ministério da Educação e apenas cinco outros estados foram contemplados através de chamada pública de projetos.

O projeto prevê o equilíbrio dos investimentos entre as quatro dimensões chamadas de estruturantes pelos realizadores: Visão, Infraestrutura, Recursos Educacionais Digitais e Formação.

Elas seguem a metodologia adotada no Programa de Inovação Educação Conectada do MEC. Esse equilíbrio, segundo o BNDES, é necessário para aumentar a efetividade do uso pedagógico da tecnologia, que não pode prescindir da coerência entre o propósito de seu uso na educação (Visão), os equipamentos e conteúdos digitais que vão lhe dar suporte (Infraestrutura e Recursos Educacionais Digitais) e a formação dos profissionais envolvidos para promover os melhores resultados no processo ensino-aprendizagem (dimensão Formação).


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.