Vida Urbana

Secretaria define funções de hospitais no combate ao coronavírus em Campina Grande

Ao menos 12 unidades hospitalares farão parte do sistema público municipal do combate à Covid-19.




Foto: Divulgação PMCG

A Secretaria de Saúde de Campina Grande e o Ministério Público da Paraíba definiram, neste sábado (21), o papel de cada unidade hospitalar das redes pública, particular e filantrópica conveniada do SUS no enfrentamento ao novo coronavírus na cidade no município. Conforme definido em reunião, todas as unidades hospitalares vão compor o sistema público municipal de saúde em Campina Grande, oferecendo estrutura, equipe e material para o tratamento dos casos de coronavírus, se necessário.

O Hospital da Criança e do Adolescente (HCA) será destinado, exclusivamente, ao atendimento de crianças e adolescentes com sintomas de problemas respiratórios. Os demais casos pediátricos serão tratados no Hospital de Clipsi, no centro da cidade. Profissionais de saúde de outras unidades serão realocados pela Secretaria Municipal de Saúde à Clipsi.

O primeiro atendimento de adultos com sintomas de Covid-19 continuará sendo feito na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do bairro do Alto Branco. Já os casos confirmados da doença devem ser encaminhados para o Hospital Municipal Pedro I, que está sendo preparado para atender exclusivamente estes pacientes.

Gestantes que apresentarem sintomas de contaminação pelo novo coronavírus também devem procurar, inicialmente, a UPA do Alto Branco, e em casos extremos essas pacientes serão encaminhadas para o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), onde está sendo implantada uma ala com cinco leitos para com casos de Covid-19.

A Fundação Assistencial da Paraíba (FAP) continua sendo responsável pelo tratamento intensivo de pacientes com câncer, também, durante o período da pandemia. Já o Hospital Antônio Targino deve oferecer atendimento a pacientes que precisam de diálise e suporte de ortopedia clínica, para desafogar as demais unidades que normalmente já realizam essa tarefa.

O Hospital de Emergência e Trauma de Campina Grande também vai disponibilizar uma ala específica para o tratamento de pessoas infectadas pelo novo coronavírus, dando suporte as demais redes hospitalares do município. O Hospital João XXIII dará suporte de internação a pacientes das UPAs e a pacientes que necessitem de diálise. Uma ala para casos de Covid-19 vai funcionar como retaguarda técnica do Hospital Municipal Pedro I.

A partir do dia 1 de abril, o Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC) vai disponibilizar uma ala com 12 leitos para pacientes com o novo coronavírus. A unidade deve ceder profissionais médicos para atuarem em toda a rede de saúde municipal. O Hospital privado Santa Clara deve apresentar um planejamento contra à pandemia na próxima semana.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.