Vida Urbana

Saúde fecha 52 leitos psiquiátricos e secretaria pede perdão a antigos pacientes

Leitos faziam parte do Sanatório Clifford, que intregra o Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira e deixou de funcionar.



Othacya Lopes
Othacya Lopes
Leitos faziam parte do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira

A Secretaria da Saúde da Paraíba fechou, na manhã de hoje (18), um total de 52 leitos e celas psiquiátricas do Sanatório Clifford. Os leitos faziam parte do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, que agora conta apenas com um hospital psiquiátrico para atendimento a pessoas com problemas mentais por curtos períodos. De acordo com a secretária de saúde Roberta Abath, a medida mostra o pioneirismo da Paraíba na adesão à estratégia de mudança no cuidado desses pacientes.

Eu peço perdão a todos os pacientes que, ao longo da história, sofreram trancafiados nessas celas sujeitos a enfrentarem um processo histórico de incompreensão, desinformação. Um processo secular de falta de cuidado e assistência para com quem padece desses agravos”, destacou a secretária, revelando que a Paraíba se destaca nacionalmente com a maior rede de atenção psicossocial do País. “Nós inauguramos ontem o 99º Centro de Atenção Psicossocial do Estado no município de São João do Cariri, o que destaca a Paraíba com o Estado com maior número de Caps por número de habitantes”, acrescentou.

De acordo com a coordenadora de saúde mental da SES, Shirlene Queiroz, a previsão é de haja uma mudança completa na forma de cuidar os deficientes mentais no Estado. “Nós tivemos períodos com mais de 500 pessoas atendidas e residindo aqui no Complexo Juliano Moreira. Antigamente, quando alguém era diagnosticado com hanseníase, elas eram levadas para leprosários. Agora elas são incluídas e cuidadas nos Postos de Saúde da Família (PSF). Da mesma forma deve acontecer na psiquiatria. Temos melhorado o cuidado e a tendência é essa também para os deficientes mentais”, explicou.

Ainda conforme Shirlene, o tratamento dos deficientes mentais passará paulatinamente a ser por meio de vários serviços. “Inicialmente o PSF, depois seguirão para os Caps e, em caso de crise, seguirão para leitos de internação em hospitais gerais, não precisando mais ficar recluso para que tenha esse cuidado”, disse.

De acordo com o diretor do Complexo Psiquiátrico Juliano Moreira, o Sanatório Clifford contava anteriormente com 90 leitos, que foram reduzidos para 52 nos últimos anos e agora foi fechado. Ele revelou que agora o Juliano Moreira, hospital psiquiátrico remanescente no complexo, conta com 79 leitos. Ao todo, o Estado conta, ainda, com 15 residências psiquiátricas, que são os locais para os quais os internos há muitos anos são levados caso a família não os aceite de volta.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.