Vida Urbana

Roubos constantes a ônibus aterrorizam os moradores de CG

Somente este ano foram registradas 27 ocorrências no interior dos transportes coletivos da cidade.  92%% a mais em comparação com o mesmo período de 2015.  



Silvana Torquato
Silvana Torquato

“Eu estava dentro do ônibus quando cinco pessoas entraram no veículo e anunciaram o assalto. Eles levaram todos os pertences dos passageiros e ainda atirou contra o motorista”. Esse relato é de uma usuária de ônibus de Campina Grande que teve celular e documentos pessoais levados pelos bandidos. O crime aconteceu esta semana, mas é uma sensação de insegurança que acompanha todos os dias os passageiros que precisam usar o ônibus para se deslocar seja para trabalhar ou passear. Somente este ano foram registradas 27 ocorrências de roubos a ônibus na cidade, 93% a mais em comparação com o mesmo período de 2015.

A onda de violência nos transportes coletivos da cidade não dá trégua e cada vez mais esse tipo de crime está mais violento. Segundo relatos de passageiros que já foram roubados dentro dos ônibus, geralmente são menores de idades que abordam os usuários, mas eles só levam celulares e documentos das vítimas. Mas de acordo com a última ocorrência registrada na madrugada da sexta-feira (6), os bandidos abordaram o motorista no bairro do Cruzeiro, que parou para deixar um passageiro, e anunciaram o assalto. Após levar todos os pertences dos usuários, os suspeitos ainda atiraram contra o para-brisa do veículo, atingindo de raspão do motorista, que foi salvo pelo crachá.

O Sindicato dos Motoristas já paralisou as atividades em protesto nas ruas contra essa violência. O presidente do Sindicato dos Motoristas de Campina Grande, Antonino Macedo, disse que esse tipo de medida gera efeitos, mas os casos voltam a crescer como podemos perceber esse ano. “O que nós queremos é reforço nas blitzen, porque isso inibe os bandidos”, destacou.

O comandante do 2º Batalhão de Polícia Militar, major Gilberto Felipe, disse que concorda com o pleito dos motoristas e dos passageiros dos ônibus, mas garantiu que a polícia está realizando blitzen diariamente, das mais diversas maneiras, tanto fixas em ruas, quanto com viaturas seguindo os ônibus durante o trajeto.

Em 2015 foram registrados 66 roubos a ônibus e esse ano já contabiliza mais de 27, segundo levantamento feito pelo JORNAL DA PARAÍBA com base nos relatórios do Centro Integrado de Operações Policiais (Ciop). No entanto, o Sindicato dos Motoristas afirma que esse número é bem maior, já que muitos usuários não chamam a polícia. “Já passei por vários assaltos dentro do ônibus, mas é uma sensação de que as coisas não vão se resolver que termino não registrando a ocorrência. É rezar todos os dias para não ser vítima desses bandidos”, ressaltou a comerciante Ana Pereira, 34 anos.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.