Vida Urbana

Risco de choque elétrico suspende atividades em creche de Campina Grande

Paredes e torneiras da creche estão transmitindo corrente elétrica; servidora já foi vítima de uma forte descarga em um dos banheiros.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Secretaria de Educação do município (Seduc) suspendeu todas as atividades no prédio até que os problemas sejam resolvidos

Um problema que atinge uma creche com mais de 100 crianças vem perturbando há três meses a rotina de funcionários, professores e crianças da Creche Nenzinha Cunha Lima, no bairro do Presidente Médici, em Campina Grande. Várias paredes e torneiras da creche estão transmitindo corrente elétrica, e uma servidora já foi vítima de uma forte descarga em um dos banheiros, o que levou a Secretaria de Educação do município (Seduc) a suspender, desde ontem, todas as atividades no prédio até que os problemas sejam resolvidos.

Os problemas começaram a ser percebidos depois que o prédio passou por uma reforma. Segundo relatos de merendeiras e auxiliares de serviço, desde junho elas começaram a sentir pequenas descargas elétricas quando trabalhavam na cozinha, na lavanderia e em um dos banheiros da unidade. As crianças também começaram a reclamar que ao utilizar as torneiras do refeitório sentiam pequenos choques e foram proibidas de lavar as mãos no local. Para evitar novos acidentes, a roupa utilizada pelas crianças passou a ser lavada na lavanderia de fora da creche e uma grade permanentemente fechada passou a isolar a cozinha e a lavanderia de outras áreas do prédio.

Os funcionários também denunciaram que na cozinha os fios foram colocados diretamente nas paredes, sem nenhum tipo de isolamento, e que há cerca de um ano e meio o transbordamento de uma das caixas infiltrou água em vários cômodos do prédio. O secretário da creche, Itamar Silveira, explica que no final de julho o problema agravou-se porque uma das auxiliares de serviço sofreu uma forte descarga elétrica num dos banheiros e na semana passada a direção suspendeu as aulas durante dois dias para que uma equipe de manutenção da Seduc tentasse solucionar o problema.

Ao falar sobre o assunto, a Secretaria de Educação informou que suspendeu novamente as aulas para que todos os problemas sejam solucionados. Segundo o texto, engenheiros da Seduc realizam avaliações para detectar as causas do problema, e os reparos devem começar ainda hoje. Uma das hipóteses consideradas pela gerente de educação infantil, Francilene Nogueira, é que os transtornos foram causados pela ação da construtora que realizou a reforma na unidade, concluída em junho. (Colaborou Déborah Souza) 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.