Vida Urbana

Retirada de barracas gera tumulto entre ambulantes e Sedurb

Segundo a Sedurb, determinados locais não podem ser ocupados.



Walter Paparazzo
Walter Paparazzo
De acordo com o vice-presidente da Associação dos Ambulantes, um protesto pode acontecer caso a situação permaneça

Um tumulto envolvendo comerciantes e agentes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano (Sedurb) aconteceu na manhã desta terça-feira (2) em frente à Arquidiocese da Paraíba, na Praça Dom Adauto, no Centro de João Pessoa. Os comerciantes foram obrigados a retirarem barracas que, segundo o órgão municipal, estariam instaladas em locais que não poderiam ser ocupados. Agentes da Sedurb atuaram na desmontagem de barracas dos comerciantes que descumpriram os Termos de Ajustamento de Conduta (TAC), que regulamentou a ocupação na área.

Segundo o vice-presidente da Associação dos Ambulantes, Josemar Muniz, todos os trâmites envolvidos na ocupação dos espaços foram acordados com a prefeitura. "A gente pagou, participou do sorteio, tudo para trabalhar aqui", disse. "A prefeitura chegou aqui de madrugada quebrando as barracas. Sendo que há 30 anos trabalhamos aqui. Não sei o que aconteceu esse ano que eles falaram que não íamos trabalhar", detalhou.

Conforme a assessoria de imprensa da Sedurb, foi firmado um TAC com o Ministério Público para que alguns locais do Centro Histórico não fossem ocupados pelos comerciantes. Inclusive, no edital divulgado para os comerciantes, a área nas proximidades da Arquidiocese é um dos pontos que seria vetado. Ainda de acordo com a assessoria da Sedurb, os comerciantes, de fato, pagaram uma taxa para ocupar os espaços disponibilizados pela prefeitura, mas haviam se comprometido a se instalarem apenas em locais determinados pelo órgão. Com isso, os comerciantes descumpriram o termo onde se comprometiam com essas medidas e ocuparam locais que não estão permitidos.

O vice-presidente da Associação dos Ambulantes explicou a situação das ocupações. "Ocupamos só um rolamento da via. As calçadas estão desobstruídas. A prefeitura chegou de forma arbitrária, quebrando tudo. E estamos fazendo um apelo, para que o prefeito se sensibilize, e veja essa situação de pais e mães de família", explicou Josemar.

Ainda conforme Josemar, um protesto pode acontecer caso a situação não fique favorável para os comerciantes. "Hoje os ambulantes vão se reunir, se isso [as barracas] não voltar, a gente infelizmente vai ter que parar João Pessoa. Para lutar por nossos direitos, que são direitos conquistados. Não podemos permitir que isso aconteça", finalizou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.