Vida Urbana

Racionamento será ampliado em Campina e mais 18 municípios

Cidades abastecidos pelo açude de Boqueirão vão ficar 60 horas sem água. Outros 13 municípios iniciarão o período de racionamento a partir do dia 1º de junho



Francisco França
Francisco França

A cidade de Campina Grande e outros 18 municípios abastecidos pelo açude Epitácio Pessoa (Boqueirão), que estão sob racionamento de água devido à crise hídrica vivenciada no Estado, sofrerão uma ampliação no período de falta de água nas torneiras. Atualmente, o abastecimento de água nessas cidades está sendo interrompido durante 36 horas no fim de semana, período que deverá passar a ser de 60 horas. Além dessas cidades, outras 13 passarão a também sofrer com o racionamento a partir do dia 1º de junho. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (21) durante reunião da Comissão Especial de Acompanhamento Sobre a Gestão das Águas do Ministério Público da Paraíba (MPPB), contudo só será oficializado na próxima segunda-feira.

Atualmente, a oferta de água nas cidades abastecidas por Boqueirão está sendo paralisada das 17h do sábado às 5h da segunda-feira. Com a ampliação, os moradores passariam a não ter água das 17h do sábado às 5h da terça-feira. A decisão tem como objetivo promover um prolongamento da capacidade do reservatório e ainda não tem data para ter início.

Além dos municípios abastecidos por Boqueirão, que já estão em racionamento desde dezembro do ano passado, a Cagepa ainda anunciou o início do racionamento em outros 13 municípios. São eles: Souza, Marizópolis, Nazarezinho, Imaculada, Itaporanga, Picuí, Frei Martinho, Nova Palmeira, Barra de Santa Rosa, São José de Piranhas e São José de Caiana, que terão o seu abastecimento suspenso durante 48 horas por semana, o que implicará em uma falta de água nas torneiras das casas das 5h do sábado às 5h da segunda-feira. Além do município de Cajazeirinhas e o distrito Engenho Ávidos, que terão a suspensão do abastecimento durante 25 horas por semana, ou seja, das 16h do sábado às 17h do domingo, porém com a previsão de aumento para três dias e meio a partir do dia 28 de maio de 2016, caso não haja uma melhora na situação dos mananciais.

Para o presidente da Cagepa, Marcus Vinícius Neves, além do racionamento, outra medida importante que já está sendo tomada para permitir que não haja o esvaziamento dos mananciais é a fiscalização. “Nós temos racionado, mas também intensificado a fiscalização, para evitar furtos da água, seja para consumo humano ou irrigação, temos reutilizado a água que usamos para a lavagem de filtros, além de buscado ao máximo minimizar as fraudes que ocorriam no momento da distribuição. Temos uma preocupação específica com Campina Grande e os municípios abastecidos por Boqueirão, mas essa preocupação se estende a todo o Estado, e estamos trabalhando na perspectiva de termos água até a chegada do próximo período chuvoso”, comentou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.