Vida Urbana

Professores de Campina decidem entrar em greve após São João

Assembleia que decidiu por greve teve a presença da professora potiguar Amanda Gurgel, conhecida por defender a aplicação dos piso salarial a todos os docentes.



Karoline Zilah/Paraíba1
Karoline Zilah/Paraíba1
Assembleia aconteceu no auditório do Sesc Centro

Da Redação

Depois do recesso de São João, os professores da rede municipal de Campina Grande vão paralisar as suas atividades. A decisão de greve por tempo indeterminado foi tomada em assembleia, no auditório do Sesc Centro, em Campina, nesta quinta-feira (9).

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Públicos Municipais do Agreste da Borborema (Sintab), Napoleão Maracajá, a categoria reivindica a adequeção salarial à carga horária de 30h. Com o reajuste pedido, o salário de professores de nível médio subiria de R$ 696 para R$ 890 e, os de nível superior, de R$ 795 para R$ 1.034.

O Sintab também exige o pagamento da insalubridade para os funcionários de creches e escolas. Na assembleia, esteve presente a professora do Rio Grande do Norte, Amanda Gurgel, que ganhou destaque nacional por defender a aplicação do piso salarial a todos os decentes.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.