Vida Urbana

Professores da UFPB decidem manter greve

Por 182 votos a 110, professores decidiram manter por tempo indeterminado.



Rizemberg Felipe
Rizemberg Felipe
Proposta oferecida pelo governo federal foi rejeitada pela maioria das universidades federais do país

Os professores da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) decidiram ontem, em assembleia geral da categoria realizada no campus de João Pessoa, manter a greve por tempo indeterminado. Hoje, a paralisação completa 113 dias e segue sem acordo com o governo federal. O Ministério da Educação (MEC), através de assessoria de imprensa, informou que as negociações foram encerradas na semana passada e apenas 16 instituições de ensino superior decidiram encerrar o movimento.

Dessas, oito já estão retomando as atividades normais.
Na assembleia de ontem, segundo Marcos Montenegro, do Comando de Greve Local, 182 professores foram contrários ao fim da greve enquanto 110 votaram pelo fim do movimento. A categoria ainda decidiu pela continuidade da greve sem indicativo de prazo para fim do movimento. “Havia uma proposta nacional de votação de indicativo para o próximo dia 17, mas a categoria decidiu por não aceitar este prazo”, informou.

Uma nova assembleia está agendada para a próxima quarta-feira.

Até lá, o Comando de Greve volta a se reunir para discutir encaminhamentos do movimento. Os professores querem a reestruturação da carreira de docente e reajuste salarial. Na última proposta apresentada, o governo federal ofereceu reajuste que varia de 25% a 45%, que foi rejeitada pela maioria das universidades federais.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.