Vida Urbana

Prefeitura de João Pessoa revoga decreto e proíbe festa de fim de ano com aglomeração

Secretário de saúde afirmou que avanço dos casos foi determinante para a decisão.




O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo (PV) decidiu, nesta sexta-feira (4), revogar o decreto que permite o funcionamento de auditórios e teatros para eventos corporativos e artísticos, com público limitado a 400 pessoas, assim como eventos em locais abertos e semiabertos. A decisão atende recomendação Ministério Público Federal (MPF) e do Ministério Público da Paraíba (MPPB) devido ao risco de uma segunda onda de contaminação pela Covid-19 na capital neste final de ano.

O secretário Municipal de Saúde, Adalberto Fulgêncio, destacou que a decisão de acatar a sugestão também foi tomada perante a mudança do quadro epidemiológico da última semana, seguindo o princípio da obediência, da prevenção e da cautela. “Temos a preocupação de manter as pessoas seguras e após reunião com os representantes definimos que vamos acatar a recomendação”, reforçou.

Segundo dados do último boletim epidemiológico divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde nesta quinta-feira (3), João Pessoa acumula 37.289 pessoas contaminadas pela covid-19, com 186 novos casos neste último balanço. Ainda conforme o boletim, na Grande João Pessoa, 63% dos leitos de UTI estão ocupados.

O decreto que havia liberado a realização de grandes eventos foi publicado no último dia 5 de novembro. Preocupados com a ‘segunda onda’, o MPF e MPPB expediram recomendação para impedir festas com aglomerações neste fim de ano. O movimento ocorre no período em que as empresas e grupos familiares se reúnem para realizar as confraternizações de fim de ano. O documento foi entregue na manhã desta quinta-feira (4) ao secretário Adalberto Fulgêncio.

 

Sem fogos

 

Além de proibir festas com aglomeração, a prefeitura de João Pessoa já havia anunciado a proibição da realização de shows na orla e queimas de fogos de artifício durante a festa de réveillon e a tradicional queima de fogos no Busto de Tamandar. O presidente da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), Maurício Burity, afirmou que o evento não será realizado, pois não há como garantir o distanciamento social entre as pessoas em um evento público deste porte.

A Covid-19 também fez com que a prefeitura cancelasse a realização do Festival Internacional de Música Clássica, que estava programado para este mês de novembro. O festival já estava inserido no calendário cultural da cidade e contaria com a participação de artistas brasileiros e, nesta edição, de pelo menos dez países.

 

Orientações

 

Faltando pouco mais de 20 dias para o Natal, a Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou nesta quarta-feira (2), um guia de recomendações sanitárias para as festividades de fim de ano. O intuito do documento é orientar gestores, trabalhadores e a população em geral, sobre reuniões familiares, confraternizações no ambiente de trabalho, planejamento para compras e viagens.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.