Vida Urbana

Prefeitura de CG realiza campanha de imunização contra sarampo nesta quinta

Várias unidades estarão recebendo a população para a aplicação das vacinas. Pessoas entre 1 e 49 anos devem ser vacinadas.




Da Redação
Com Codecom

A Coordenação de Imunização da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Campina Grande vai realizar nesta quinta-feira (14), durante todo o dia, uma grande mobilização para vacinar as pessoas de ambos os sexos, que tenham entre 1 e 49 anos de idade, e que ainda não tomaram a Tríplice Viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba. O objetivo principal da mobilização é imunizar as pessoas contra o sarampo, tendo em vista a proximidade do município de Campina Grande com João Pessoa, incluindo a sua região metropolitana, onde já foram confirmados casos da doença.

Nesta quinta-feira, a vacina poderá ser tomada em todas as Unidades Básicas de Saúde da Família), nos Centros de Saúde, no Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea), Hospital Universitário Alcides Carneiro (HUAC), além dos campi da Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e Universidade Federal de Campina Grande (UFCG), localizados no bairro de Bodocongó. Na UFCG, a vacinação será realizada no posto médico e na entrada do campus, e na UEPB, na Clínica de Enfermagem.

A Tríplice Viral faz parte do calendário básico de vacinação e depois desta mobilização vai continuar sendo aplicada em todas as unidades de saúde do município. Normalmente, a primeira dose deve ser tomada pelas crianças aos 12 meses de idade. Entre os 4 e 6 anos de idade, uma segunda dose deve ser aplicada, conforme informações da coordenadora municipal de Imunização, Tânia Jerônimo. Até os 19 anos de idade, duas doses devem ser aplicadas para assegurar a eficácia da vacina.

Caso até os 19 anos os adolescentes não tenham tomado nenhuma dose, devem tomar as duas doses, que serão aplicadas em um intervalo de 30 dias. Acima desta faixa etária, a vacina ainda poderá ser aplicada, desta vez em apenas uma dose, sendo que para as mulheres a faixa etária limite é de 49 anos e para os homens, 39 anos. Segundo Tânia, as mulheres são imunizadas por até mais tempo, tendo em vista o período de fertilidade. E, nesta mobilização, a faixa etária para os homens foi estendida até 49 anos por conta de um caso confirmado em uma pessoa do sexo masculino de 44 anos.

A mobilização é uma das medidas adotadas pela Secretaria Municipal de Saúde e que começaram mesmo antes da realização da Copa do Mundo na África do Sul, orientando os campinenses que iriam viajar para assistir à competição para que eles tomassem a vacina contra sarampo, já que o país africano é um dos que ainda não conseguiram erradicar a doença. Os casos identificados em João Pessoa são provocados pelo vírus B3, o mesmo que circula na África do Sul.

"Em 2008, quase 130 mil campinenses participaram da Mobilização Nacional para a Eliminação da Rubéola, cuja vacina também protege contra sarampo", complementou a coordenadora de Imunização. Mesmo assim, algumas pessoas, principalmente do sexo masculino, deixaram de tomar a vacina, que continua sendo a maneira mais eficaz de se proteger contra a doença. Quem tomou a vacina recebeu um adesivo, que foi afixado no documento de identificação apresentado nas unidades de saúde.

Sintomas

O sarampo é uma doença aguda, altamente contagiosa, transmitida por vírus, de pessoa a pessoa, por meio das secreções expelidas pelo doente ao tossir, respirar, falar ou respirar. No início da doença, o paciente apresenta febre, tosse, catarro, conjuntivite e fotofobia. Depois, esses sintomas são acentuados, com prostração do paciente e aparecimento de manchas avermelhadas na pele.

A morte pode ocorrer por conta de complicações como a pneumonia, além de diarreia e encefalite. Não existe tratamento específico para o sarampo; há apenas a recomendação de repouso, hidratação, uso de antitérmicos e isolamento dos doentes para diminuir o contágio. As complicações bacterianas são tratadas com antibióticos.

O sarampo é mais grave quando afeta crianças com menos de 5 anos de idade e as gestantes, podendo levar até ao aborto. No entanto, os jovens e adultos, apesar de não serem tão afetados pela doença, também precisam se proteger pois eles podem transmitir o vírus. Quem vai viajar para regiões onde a doença ainda não está erradicada, como África e alguns países da Europa, também devem tomar a vacina.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.