Vida Urbana

Prefeitura de Campina quer ampliar notificações de violência contra mulher

Casos incluem diversos tipos de violência, entre elas, sexual, física, psicológica, patrimonial, negligência e abandono.




Da Codecom/PMCG

Os Núcleos de Prevenção à Violência e Promoção à Saúde da Secretaria de Saúde da Prefeitura de Campina Grande notificaram neste ano 30 casos de violência contra a mulher, incluindo crianças, adolescentes, adultas e idosas.

Os casos incluem diversos tipos de violência, entre elas, sexual, física, psicológica, patrimonial, negligência e abandono, que costumam atingir mais as mulheres idosas, explicou a coordenadora dos Núcleos, Cícera Arquelino Alves Ramos.

Para capacitar os profissionais que atuam nos Núcleos, PSF (Programa de Saúde da Família) e CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) e contribuir para a redução da subnotificação dos casos de violência contra a mulher, na manhã desta quarta-feira (16) às 8h, no auditório do Conselho Municipal de Saúde, a Secretaria Estadual de Saúde estará realizando um treinamento para orientar os profissionais sobre os procedimentos a serem adotados na notificação dos atendimentos.

Os Núcleos de Prevenção à Violência funcionam no Isea, que é a referência para vítimas de violência sexual, além do Serviço Municipal de Saúde, Centros de Saúde do Catolé, Liberdade, Palmeira e Dr. Francisco Pinto, no centro da cidade. Eles foram implantados pela Prefeitura Municipal no ano de 2006 com o objetivo de notificar os casos suspeitos e/ou confirmados de violência doméstica e sexual.

Além de identificar, notificar e encaminhar as vítimas de violência para os setores competentes, o programa realiza ações educativas, palestras e promove a divulgação e discussão com a comunidade sobre a Lei Maria da Penha, informou a coordenadora dos Núcleos.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.