Vida Urbana

Policial militar é suspeito de matar jovem e ferir outro em pizzaria de João Pessoa

PM atirou quando grupo chegava no estabelecimento comercial.




PM atirou quando grupo chegava para comemoração na pizzaria (Foto: Reprodução/TV Cabo Branco)

Um policial militar é suspeito de atirar em um grupo de amigos em uma pizzaria no bairro Jardim Oceania, em João Pessoa, na noite de quarta-feira (12). Um jovem de 25 anos morreu e outro de 22 anos ficou ferido. De acordo com o delegado Paulo Josafá, o suspeito é lotado no Batalhão de Choque.

Segundo informações repassadas pela Polícia Militar, sete pessoas haviam ido comemorar o aniversário de um chefe do trabalho na pizzaria. Por ser um grupo grande, uma parte foi de Uber e outros dois participantes de motocicleta.
Quando o carro com alguns dos convidados para a confraternização chegou na frente do estabelecimento, os outros dois que estavam na moto aguardando se dirigiram para próximo do carro. Nesse momento, segundo relatos da polícia, o policial militar começou a atirar contra a dupla.

Duas pessoas – o motorista do Uber e um dos homens que estava na moto – foram baleadas e levadas para o Hospital de Emergência e Trauma da capital. O passageiro da moto, Fausto Targino de Moura Júnior, de 25 anos, não resistiu e morreu na unidade de saúde. A outra vítima segue internada em estado grave.

No local do crime, foram encontradas três cápsulas de pistola calibre .40, o que, segundo o delegado Paulo Josafá, indica que a arma pertence ao sistema de segurança do Estado da Paraíba. O comandante do Choque, capitão Guilherme Herculano, vai se posicionar sobre o caso na manhã desta quinta.

O suspeito dos disparos fugiu e não se apresentou à polícia. O delegado Paulo Josafá disse ao portal G1 que um oficial do Choque foi até a delegacia de madrugada e a expectativa é que o suspeito se apresente na delegacia ainda nesta manhã. Ele deve ser autuado por homicídio qualificado.

Inicialmente, foi levantada a hipótese que o autor dos tiros era segurança da pizzaria. No entanto, foi apurado pela polícia que ele é irmão de um funcionário e comparecia ao local todos os dias para deixar uma moto para o irmão. O relato de testemunhas é que ele era sempre visto no estabelecimento.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.