Vida Urbana

Polícia Federal cumpre 40 mandados durante operação contra tráfico de drogas na Paraíba

A ‘Operação Dragões de Fogo’ foi deflagrada na manhã desta terça-feira.




Foto: Ascom/PF

A Polícia Federal cumpre 21 mandados de prisão preventiva e 20 de busca e apreensão, na manhã desta terça-feira (26), durante a ‘Operação Dragões de Fogo’, na Paraíba. O objetivo é combater tráfico de drogas em João Pessoa, Campina Grande e no Sertão paraibano.

De acordo com a assessoria da PF, até às 11h30 desta terça-feira,  já foi cumprido uma prisão em flagrante e apreensão de uma motocicleta, dois celulares, uma balança de precisão, 18 cartelas de Pramil e 1kg de maconha, em João Pessoa. Já em Campina Grande, foram registrados três prisões em flagrante e apreensões de três armaas, 100 munições e 506g de cocaína. Em Patos, foi cumprido uma prisão em flagrante, uma motocicleta, uma balança digital de 11,5kg de maconha.

Os quarenta mandados continuam sendo cumpridos nas cidades de João Pessoa, Campina Grande, Patos, São Bento, Paulista e Teixeira. Eles foram expedidos pela Vara de Entorpecentes de Campina Grande e pretende desarticular as organizações criminosas investigadas, cujos líderes integram facção criminosa com atuação no estado.

Foto: Ascom/PF

A operação teve início em 2017 na delegacia da Polícia Federal em Campina Grande e se concentrou em duas organizações criminosas voltadas para o tráfico interestadual de drogas. Durante a investigação, foram interceptados carregamentos de drogas no estado paraibano e Rio Grande do Norte, que resultou na prisão em flagrante de 14 pessoas, apreensão de aproximadamente 360 quilogramas de maconha e 32 quilogramas de cocaína, além de duas armas de fogo.

De acordo com a Polícia Federal, o nome dado à operação é relacionado a mitologia, onde os dragões são associados com o mal e o caos. Os dragões dos mitos sumérios, por exemplo, frequentemente cometiam grandes crimes e acabavam punidos pelos deuses.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.