Vida Urbana

Polícia Civil apreende carga de drogas sintéticas avaliadas em R$ 1 milhão na Grande João Pessoa

Foram encontrados cerca de cinco mil comprimidos de êxtase, além de outros entorpecentes.




Foto: Polícia Civil

Uma operação realizada em bairros de João Pessoa e Cabedelo, na noite de quarta-feira (21) , apreendeu cerca de cinco mil comprimidos de êxtase. Durante a Operação Buda, também foram encontrados substâncias usadas na fabricação do entorpecente, vasta quantia em dinheiro e balanças de precisão. A Polícia estima que a quantidade de drogas apreendidas está avaliada em R$ 1 milhão.

Segundo a Polícia Civil, está é a maior apreensão de drogas sintéticas ocorrida no Estado nos últimos anos. A operação foi realizada pela equipe da Delegacia de Repressão a Entorpecentes de João Pessoa (DRE/JP). As apreensões aconteceram nos bairros do Bessa, em João Pessoa; e Ponta de Campina, em Cabedelo.

Segundo o delegado Bruno Germano, o caso já vinha sendo investigado há cerca de quatro meses, quando a polícia deflagrou a primeira fase da Operação Buda e prendeu suspeitos de praticar tráfico nas cidades de João Pessoa e Cabedelo.

“Na tarde dessa quarta, a polícia passou a monitorar um veículo que estava fazendo a entrega da droga no bairro do Bessa. Quando os policiais abordaram o carro, prenderam o suspeito de ser o traficante e um consumidor “, explicou o delegado. Nesse momento, a polícia conseguiu apreender uma quantidade em dinheiro e drogas. “Os agentes foram até a casa do suspeito, no bairro de Ponta de Campina, em Cabedelo, onde havia um depósito com o restante do dinheiro e entorpecentes”, completou.

Durante a operação, também foi localizado cocaína, haxixe, crack, maconha e mais de R$ 45 mil em dinheiro em espécie. As investigações apontam que o dinheiro seja do tráfico de drogas. Dois homens foram conduzidos à delegacia. Um deles, apontado como o responsável pela distribuição da droga, foi preso e autuado por crime de tráfico de drogas . O suspeito tem 24 anos, não tem antecedentes criminais e é de classe média.

O segundo investigado foi identificado como consumidor. Ele foi detido no momento em que estava adquirindo o entorpecente. Foi ouvido e responderá processo em liberdade. O material apreendido será apresentado à Justiça. As investigações irão continuar para identificar outros envolvidos no crime.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.