Vida Urbana

Pesquisa do IFPB sobre adaptação do ensino de química para surdos ganha prêmio internacional

Segundo o pesquisador Carlos Alberto, foi o primeiro trabalho sobre este tema no mundo.




Foto: arquivo pessoal

Um pesquisa pioneira sobre a adaptação de recursos didáticos para surdos no ensino da química verde e sustentável desenvolvida no Instituto Federal da Paraíba (IFPB), em João Pessoa, obteve reconhecimento internacional. O trabalho do doutorando em Química Carlos Alberto da Silva Júnior, recebeu a premiação nesta sexta-feira (10), no encerramento do Green Chemistry Postgraduate Summer School (XII GCPSS), realizado na Itália.

O trabalho, intitulado “Teaching Green Chemistry To Deaf Students: A Brazilian Case Study”, foi apresentado em formato de banner durante o evento, que seria realizado em Veneza e acabou acontecendo virtualmente, entre os dias 06 e 10 de julho, devido a pandemia.

A pesquisa, segundo ele, foi realizada quando era discente do curso de Licenciatura em Química do IFPB e trabalhou com a orientação da Prof. Dra. Alessandra Marcone Tavares de Figueirêdo, docente neste IFPB. “Segundo os organizadores, foi o primeiro trabalho com Química Verde e Surdos no mundo. Não tinha dimensão disso. A ficha ainda não caiu”, pontuou Carlos Alberto.

Atualmente doutorando do Programa de Pós-Graduação em Química, da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Carlos Alberto da Silva Júnior disse estar feliz pelo reconhecimento da pesquisa realizada na Paraíba. “Trata-se do reconhecimento internacional de uma pesquisa realizada no Brasil. Nenhuma conquista é individual e sou grato a Deus e a todos os envolvidos neste desafio”, comemora Carlos Alberto.

 

Pesquisa

 

O trabalho trata do estudo de uma adaptação e desenvolvimento de recursos didáticos que facilitem o acesso de alunos ouvintes e com deficiência auditiva no ensino da Química Verde e Sustentável. Segundo a pesquisa, em 2020, existem mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo com perda auditiva incapacitante, e estima-se que até 2050, mais de 900 milhões de pessoas terão surdez. Milhares desses cidadãos são estudantes que estão matriculados em programas de ensino médio e superior no Brasil.

O objetivo da pesquisa, então, buscou sondar e avaliar, de uma maneira geral, os antecedentes conhecimento sobre Química Verde (GC) de alunos do 1º ano do Curso Técnico em Controle Ambiental Integrado ao Ensino Médio do IFPB, no Brasil, bem como para adaptar e desenvolver recursos didáticos que facilitem o acesso de alunos ouvintes e surdos neste importante tema.

O projeto foi dividido em quatro etapas: perguntas da pesquisa, estudo de caso, atividade visual-educacional
e experimentos. Os resultados mostraram que houve um impacto positivo na aprendizagem dos alunos e uma
maior interesse nas disciplinas de Química e Introdução à Educação Ambiental.

 

Sobre o Prêmio

 

A Premiação do Green Chemistry Postgraduate Summer School é apoiada pela União Internacional de Química Pura e Aplicada (IUPAC) e tem como objetivo identificar os atuais avanços enfrentados na expansão da Química Verde e Sustentável, reconhecendo as pesquisas significativas, sobretudo as que contribuam, efetivamente, para o desenvolvimento deste ramo da ciência.

 

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.