Vida Urbana

Paraíba tem redução de 40% dos crimes envolvendo bancos

Os dados destoam dos que foram divulgados pelo governador João Azevêdo.




Foto: Divulgação

A Paraíba reduziu em 40% o volume de crimes envolvendo bancos, entre o dia 1º de janeiro a até 21 de setembro deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019. Em número reais, a redução é de 20 para 12 investidas criminosas, segundo o Sindicato dos Bancários da Paraíba. Um dos últimos ocorreu no último dia 16 de setembro, em Coremas, no Sertão paraibano, um dia antes da visita do presidente Jair Bolsonaro.

Ainda segundo o sindicato, no período comparado, houve uma redução de 10% no crime de explosão, 80% nos arrombamentos, 33,33% nas tentativas de crimes e 100% nos assaltos e saidinha de bancos.

Os dados fazem parte do Mapa da Violência Contra Bancos na Paraíba e foram divulgados pela entidade em contraponto aos números apresentados pelo governador João Azevêdo (Cidadania) em seu programa semanal na rádio ‘Fala Governador’, nesta segunda-feira (21). Segundo o gestor, houve redução de 65% nos ataques à agências bancárias no estado no período entre janeiro e agosto deste ano.

João Azevêdo atribuiu o resultado à força-tarefa criada no ano passado voltada ao enfrentamento dos crimes contra o patrimônio, com foco nas ações contra instituições bancárias. Durante esse período, segundo o governador, mais de 3.800 operações de prevenção e repressão qualificadas foram realizadas no Estado e 2.322 armas de fogo foram retiradas das ruas.

“Esse é um esforço da nossa inteligência e do reforço das nossas delegacias especializadas no interior, a exemplo da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos na cidade de Patos e da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção no Estado, que já têm dado resultados em 2020”, comentou o gestor.

 

Questionamentos

 

Para o presidente do Sindicato dos Bancários da Paraíba, Lindonjhonson Almeida, muitos são os fatores que podem ter concorrido para a redução das ocorrências nesses nove meses do ano. “Acreditamos que essa redução deve-se: ao fechamento de agências, a manutenção de agências bancárias sem movimentação de numerário, a abertura de escritórios digitais e, também, diminuição do atendimento presencial nas agências bancárias, com cerca de 70% de bancárias e bancários trabalhando em home office, por conta da crise provocada pela pandemia do novo coronavírus (Covid-19)”, afirmou.

Lindonjhonson Almeida ressalta que, após o período apurado só aconteceram mais duas ocorrências em 2019, sendo um uma explosão no final de outubro e um assalto no início de novembro.

 

Outras quedas

 

O governador João Azevêdo também fez um balanço da redução de outros crimes praticados na Paraíba. Segundo ele, os números também apontam uma queda de 16% nos roubos e furtos de veículos, uma diminuição de 12% nas mortes por acidentes de trânsito e em 2.340 veículos recuperados.

Também houve a redução de 67% nos roubos a transportes coletivos; 26% nos roubos a pessoa; e 20% nos roubos a estabelecimentos. Além disso, 1.872 quilos de drogas foram retirados de circulação e 11.241 pessoas foram presas, sendo 1.588 por crimes graves.

Já o trabalho do Corpo de Bombeiros Militar totalizou em 77 vidas salvas no socorro de vítimas de tentativa de homicídios. Além disso, 1.624 pessoas foram resgatadas pelos bombeiros militares em casos de acidentes de trânsito.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.