Vida Urbana

Paraíba oferece abrigo provisório para mulheres em situação de violência

As inscrições estão abertas para que mulheres tenham acesso ao serviço de abrigo provisório.




O período de isolamento social tem proporcionado momentos de maior aproximação entre os familiares, mas em alguns casos, também tem servido para que mulheres sejam agredidas pelos seus companheiros, já que atividades profissionais foram suspensas ou estão no chamado home office. Por isso, a Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana do Governo da Paraíba, abriu inscrições nesta terça-feira (30), para que mulheres em situação de violência doméstica tenham o serviço de abrigo provisório, até o mês de setembro.

As vagas no abrigo provisório são para as mulheres que não estão sofrendo ameaças de morte, mas que querem romper o ciclo de violência. As mulheres podem acessar o serviço por 24h, numa urgência, ou até por semanas. Para isso, elas precisam ser encaminhadas pelo Programa Integrado Patrulha Maria da Penha (PIPMP), a Casa-Abrigo Aryane Thais (CAAT), as Delegacias Especializadas de Atendimento às Mulheres (DEAMs) e demais serviços de atendimento que compõem a Rede de Atenção às Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Sexual (Reamcav), como os centros de referência.

O serviço atenderá exclusivamente mulheres maiores de 18 anos de idade, em situação de violência doméstica e familiar, acompanhadas ou não de seus filhos; obrigatoriamente usuárias encaminhadas e referenciadas pelos serviços de atendimento e/ou enfrentamento da violência doméstica e familiar da Paraíba. Todas serão acompanhadas por uma equipe multiprofissional.

“Conseguimos alojamentos seguros e humanizados, com a garantia de todas as refeições, acompanhamento psicossocial, cursos de capacitação em gastronomia; confecção de bolsas e bonecas; informática; canto e instrumentos musicais. Além de espaços de lazer exclusivos para as mulheres e filhos e filhas, como piscina, auditórios, refeitórios entre outros”, disse a secretária da Mulher e da Diversidade do Governo da Paraíba, Lídia Moura.

Os serviços que precisam encaminhar as mulheres podem entrar em contato com a Secretaria da Mulher e da Diversidade através do número (83) 9.8690-6672 ou pelo e-mail abrigamentoprovisoriopb@gmail.com para o envio dos encaminhamentos e relatórios psicossociais.

A Secretaria da Mulher e da Diversidade Humana está mantendo o funcionamento do Centro de Referência da Mulher Fátima Lopes, em Campina Grande, o Centro Intermunicipal de Referência da Mulher, Maria Eliane Pereira dos Anjos, em Sumé, a Casa-Abrigo Aryane Thais e o Programa Integrado Patrulha Maria da Penha. Estes dois últimos mantidos em funcionamento presencial e os demais com atendimento remoto.

 

Veja os números que as mulheres podem buscar atendimento:

 

Disque Denúncia da Polícia Civil – 197

Disque Denúncia da Polícia Militar – Emergência – 190

Renovação de Medidas Protetivas Online – 9.9146-7175

Patrulha Maria da Penha – 3221-1673

Centro de Referência da Mulher em Campina Grande – 9.8826-8844

Centro de Referência da Mulher em Sumé – 9.9400-7022

Abrigamento provisório – 9.8690-6672


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.