Vida Urbana

‘Padre manteve relação sexual com ex-coroinha antes de ser assassinado’, diz delegado

Acusado de matar o religioso ainda segue foragido. Inquérito foi concluído pela Polícia Civil.  



Reprodução/TV Cabo Branco
Reprodução/TV Cabo Branco
Padre foi assassinado dentro da casa paroquial no final do mês de agosto

O delegado Diógenes Fernandes, responsável pelas investigações da morte do padre Pedro Gomes da Silva, na cidade de Borborema, no Brejo paraibano no dia 23 de agosto, concluiu o inquérito sobre o caso na última sexta-feira (22) e encaminhou o relatório à Justiça. Segundo o documento, pouco antes de ser morto, o padre manteve relações sexuais com Lucas Sales Jerônimo, ex-coroinha acusado de ter assassinado o religioso.
 

De acordo com o delegado, a Polícia Civil chegou a essa conclusão após analisar provas periciais e o depoimento do adolescente que também é acusado de participação no crime. Ainda de acordo com Diógenes Fernandes, a motivação da morte foi patrimonial, pois os suspeitos planejavam roubar uma quantia em dinheiro que pensavam existir na residência.

 

O acusado Lucas Sales Jerônimo teria aproveitado da intimidade, inclusive sexual, que possuía com o padre para marcar a visita que ele e o menor de idade fizeram à residência. “Eles já tinham essa pretensão de matar, justamente para assegurar o roubo e dificultar a investigação. O Lucas já tinha sido coroinha e já tinha essa relação íntima com o padre e usou dessa situação para atrair a vítima e executar o plano”, disse o delegado.

 

Lucas foi indiciado pelos crimes de latrocínio e corrupção de menores. Ele ainda está foragido e a polícia não tem pistas sobre o paradeiro do acusado. O delegado acredita que a família esteja ajudando na fuga e esconderijo dele.

 

O caso

O padre Pedro Gomes Bezerra, 49 anos, foi encontrado morto no dia 24 de agosto, dentro de casa, na cidade de Borborema. O sacerdote foi assassinado com pelo menos 29 facadas. O corpo foi encontrado enrolado num lençol e o imóvel estava totalmente revirado.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.