Vida Urbana

Óleo de guaco combate bactérias resistentes a antibióticos, aponta pesquisa da UFPB

Estudo foi realizado em parceria com outras universidades do país, e identificou diversos benefícios medicinais na planta.




Foto: Divulgação UFPB

Um estudo da Universidade Federal da Paraíba (UFPB) identificou que o óleo da planta Mikania cordifolia, conhecida como guaco, auxilia no combate a bactérias resistentes a antibióticos. A pesquisa foi realizada em parceria com a Universidade Regional do Cariri (URCA), e com a Universidade Federal do Paraná (UFPR) e foi publicada em uma revista internacional.

De acordo com José Maria Barbosa Filho, professor do Instituto de Pesquisa em Fármacos e Medicamentos (Ipefarm) da UFPB, as bactérias estão se tornando cada vez mais resistentes a antibióticos tradicionais, e para combatê-las, as pessoas têm consumido maiores dosagens dos medicamento. No entanto, essa atitude pode ser prejudicial à saúde.

“Aumenta-se o risco de efeitos colaterais para o organismo humano, sem contar os gastos financeiros que crescem”, explica José Maria. No experimento, foi utilizada uma mistura de várias substâncias naturais presentes na planta e, assim, produziu-se o óleo essencial do guaco.

Os pesquisadores descobriram que, ao fazer a associação do óleo de guaco com o antibiótico, o organismo do ser humano apresenta melhoras da resposta antimicrobiana. O óleo guaco é utilizado, também, como anti-inflamatório, antiasmático e analgésico, na medicina popular.

Quando associado aos antibióticos norfloxacina, gentamicina e penicilina, o componente químico limoneno apresentou efeito regulador, e por isso, é considerado o principal componente do vegetal. O óleo guaco foi utilizado com uma dosagem menor, ao invés de serem utilizados concentrações altas de antibióticos, e, ainda assim, obteve-se o mesmo resultado. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.