Vida Urbana

Número de cidades com bandeira verde cai e Governo da PB alerta para retorno de aulas presenciais

Recomendação é que educação presencial não seja retomada, mesmo que de forma lenta e gradual




Número de cidades com bandeira verde cai e Governo alerta para retorno de aulas presenciais. Foto: SES-PB

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) divulgou neste sábado (8), a quinta avaliação do Plano Novo Normal, com a relação de cidades da Paraíba e as suas respectivas situações, levando em consideração o cenário epidemiológico diante da pandemia do novo coronavírus. Em relação à última avaliação, a quantidade de cidades com a bandeira verde, que é quando indica a melhor situação da localidade para medidas de flexibilização, caiu de 16 para 9. A nova avaliação passa a valer a partir desta segunda-feira (10).

Dos 223 municípios, 191 estão na bandeira amarela (86%), incluindo cidades como João Pessoa, Cabedelo, Campina Grande, Patos e Guarabira; 23 municípios foram classificados na bandeira laranja (10%), como Bayeux e Santa Rita, além de 9 municípios que estão na bandeira verde (4%): Barra de Santana, Carrapateira, Matinhas, Parari, Salgadinho, São Domingos, São João do Tigre, São Sebastião do Umbuzeiro e Zabelê.

Na avaliação da SES, a maior parte dos municípios que se encontravam na bandeira amarela permanecem nesta situação, com uma pequena elevação de 3% na quantidade de cidades, saindo de 185 para 191. A bandeira laranja permaneceu estável com 10% dos municípios paraibanos e a bandeira verde apresentou queda.

O secretário executivo da Saúde, Daniel Beltrammi, reforçou que enquanto não houver a descoberta de uma vacina ou medicamento eficaz, as medidas mais efetivas são o uso de máscaras, lavagem das mãos e manutenção do distanciamento social. Ele lembrou que a flexibilização das atividades sociais e econômicas está acontecendo, levando em consideração protocolos definidos pelas autoridades sanitárias competentes. Os documentos com orientações para que cada setor possa funcionar da maneira correta estão disponíveis no site da Secretaria Estadual de Saúde.

 

Volta às aulas

 

A SES também divulgou uma nota técnica, em relação ao retorno das aulas de forma presencial. A recomendação é que não seja retomada qualquer atividades de ensino regular nesse momento, com a presença de alunos e professores em sala de aula. Segundo a nota técnica, este tem sido “o maior desafio que o mundo tem enfrentado neste momento de pandemia”.

Na Paraíba, por exemplo, são aproximadamente 575 mil alunos nas escolas públicas da rede estadual e nas redes municipais de ensino. De acordo com a Secretaria Estadual de Saúde, o retorno das aulas, ainda que de forma lenta e gradual e mesmo que realizada com menores frequências semanais de aulas presenciais, faz com que haja uma dificuldade em controlar o distanciamento social, principalmente quando se fala em crianças e adolescentes.

A proposta da nota técnica é que, desde já, sejam construídas recomendações preparatórias para retomada lenta e gradual das aulas presenciais, para que sejam aplicadas assim que estudos estejam disponíveis e apontem níveis de segurança que permitam tal retomada.

“Se 30% destas pessoas mais vulneráveis forem infectadas por estas crianças e adolescentes, que em muitos casos são portadoras assintomáticas do vírus, serão necessários entre os meses de setembro e dezembro de 2020, pelo menos, mais 254 leitos de UTI disponíveis ao mês e mais 332 leitos de enfermaria, considerando que se mantenham estáveis as atuais demandas por internações pela Covid-19. Isso também pode variar para mais, uma vez que estamos em processo de retomada de outras atividades cotidianas”, disse Beltrammi.

Será permitida a retomada das atividades práticas presencias dos cursos de graduação das áreas de saúde em fase de conclusão (últimos 4 semestres dos cursos de medicina e últimos 2 semestres dos demais cursos), de acordo com protocolos vigentes.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.