Vida Urbana

Novo acidente mostra problema no transporte escolar

Outros acidentes envolvendo crianças carregadas na carroceria de caminhões no interior do Estado já aconteceram e mostram uma triste realidade.




Maurício Melo

Uma nota enviada pela assessoria de imprensa da Secretaria de Educação do Estado na noite desta segunda-feira (28) diz que "apenas" uma criança teve o braço fraturado e outras duas sofreram escoriações leves no acidente que envolveu o caminhão que as transportava na carroceria junto com outras cerca de 40 crianças.

Segundo informações da Polícia Militar, que esteve no local do acidente, na PB-400, próximo à cidade de Conceição, no Sertão do Estado, um caminhão F-4000 levava as crianças para uma escola quando o veículo perdeu força em uma ladeira, começou a descer e acabou capotando.

Segundo cabo Basílio, da Polícia Militar de Conceição, o motorista fugiu do local e o acidente havia deixado pelo menos seis crianças em estado grave. Ainda de acordo com a polícia, as aulas da escola onde as crianças estudam foram canceladas.

Outros acidentes que envolveram crianças que eram carregadas na carroceria de caminhões no interior do Estado já foram notícia este ano. No entanto, os prefeitos que usam deste tipo de transporte dizem que somente caminhões conseguem ir buscar os estudantes nos sítios para levá-los até as escolas.

História – Entre os casos, está o acidente que matou 13 estudantes e deixou outros 50 feridos em maio de 2006, também no Sertão, quando um caminhão F-4000 que carregava estudantes bateu de frente com um ônibus da Prefeitura de Vieirópolis. Todos os mortos estavam na carroceria do caminhão. O acidente aconteceu na rodovia que dá acesso a Sousa, no trecho próximo a entrada da cidade de Lastro.

Na nota enviada à imprensa, a Secretaria informou que o veículo já está recolhido ao pátio do Fórum e que o motorista José Wilson Ferreira deve se apresentar à polícia com o seu advogado ainda na noite desta segunda-feira.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.