Vida Urbana

Mutirão online para renegociação de dívidas segue até maio

Mutirão permite que consumidores e microempreendedores individuais (MEIs) renegociem dívidas com instituições financeiras com vantagens especiais.



Reprodução
Reprodução
Plataforma fica aberta até o dia 30 de maio para renegociação de dívidas.

Segue, até o dia 30 de maio, o mutirão online para renegociação de dívidas realizado pela Autarquia de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon – PB) e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon). O mutirão celebra a 3ª Semana Nacional de Educação Financeira e permite que consumidores e microempreendedores individuais (MEIs) renegociem dívidas com instituições financeiras.

Para participar, o consumidor ou MEI deve acessar a plataforma do mutirão e fazer o registro para receber um login e senha. A partir disso, basta selecionar uma instituição financeira cadastrada e formalizar a solicitação de renegociação de débitos. Após finalizar o registro, o fornecedor tem o prazo de até 10 dias para apresentar uma resposta.

Além de representar um esforço conjunto dos setores público e privado para oferecer melhores oportunidades de renegociação, a iniciativa tem como um dos seus principais objetivos sensibilizar os consumidores e fornecedores sobre a importância da educação financeira na prevenção do superendividamento e na estruturação de uma vida financeira saudável.

Micro e Pequenas Empresas terão outros canais de atendimento

Ainda na 3ª Semana Nacional de Educação Financeira, o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a Serasa também vão oferecer um serviço de renegociação de dívidas pela internet às micro e pequenas empresas. Para participar da ação, o empresário deve acessar o Limpa Nome Online Empresas e efetuar o cadastro. Ao se cadastrar, o empresário terá acesso aos débitos de seu CNPJ e poderá negociá-los diretamente com as empresas participantes, que podem ser visualizadas no menu lateral na mesma página.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.