Vida Urbana

Músico faz campanha para pagar cirurgia

Músico precisou realizar procedimento cirúrgico de urgência em uma clínica particular e faz campanha nas redes sociais para pagar tratamento.




Uma campanha para arrecadar dinheiro e quitar dívidas com a internação hospitalar e o procedimento cirúrgico que salvaram o músico Rafael Nóbrega, de 26 anos, foi iniciada ontem pela família do artista. Eles precisam levantar R$ 25 mil. O procedimento foi realizado em uma clínica particular de Campina Grande em caráter de urgência, depois que a família decidiu retirá-lo do Hospital de Trauma Dom Luiz Gonzaga Fernandes (também em Campina Grande), devido a problemas no pós-operatório.

Ontem pela manhã, ainda sob os cuidados de médicos e enfermeiros, o músico Rafael Nóbrega já conseguia falar e comer. No último dia 21, o músico começou a sentir dores fortes ainda em casa, no município de Santa Luzia, no Sertão, e foi encaminhado ao Hospital de Trauma, para a realização de uma cirurgia eletiva. “Depois da cirurgia, eu fiquei em observação e algumas horas depois senti muitas dores. À noite, fiz uma ultrassonografia e a equipe médica quis fazer um novo procedimento, mas minha mãe não deixou e fui transferido para a clínica”, explicou. Na unidade privada, depois de 24 horas da primeira operação, o jovem foi submetido a mais uma cirurgia, que teve duração de quatro horas, quando foi constatada uma hemorragia e o comprometimento de dois órgãos, o que resultou na necessidade da extração da vesícula.

Ele contou que, depois de uma semana do primeiro procedimento, já se sente quase totalmente recuperado. Mas a família está endividada pelo alto preço da cirurgia e manutenção na unidade privada e por este motivo decidiu abrir uma campanha nas redes sociais para arrecadar a quantia necessária para o pagamento.

O diretor técnico do Hospital de Trauma de Campina Grande, Flawber Cruz, alegou que qualquer cirurgia pode apresentar riscos, que podem ser sanados com um tratamento adequado.

“Houve uma peritonite, uma inflamação de uma membrana que reveste parte da cavidade abdominal, sendo necessária a realização de uma nova cirurgia para tratar o caso. A equipe do Trauma se dispôs para a realização do procedimento, mas a família não quis que a operação fosse realizada novamente no hospital”, informou.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.