Vida Urbana

MST interdita dois sentidos da Avenida Epitácio Pessoa

Grupo questiona cortes do governo federal no orçamento das políticas para reforma agrária.



Walter Paparazzo/G1
Walter Paparazzo/G1

Integrantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) viraram a noite de terça-feira (17) para quarta-feira (18) ocupando os dois sentidos da Avenida Epitácio Pessoa, em João Pessoa. A manifestação começou ainda na manhã de terça e o grupo chegou a ocupar a sede do Ministério da Fazenda, mas teve que desocupar o prédio após uma decisão da Justiça Federal na Paraíba

O protesto do MST faz parte de uma mobilização nacional, intitulada ‘Jornadas de Luta de outubro’. Os trabalhadores querem chamar atenção para os cortes das políticas de infraestrutura dos assentamentos, de créditos para a reforma agrária, como o Programa Nacional de Educação na Reforma Agrária (Pronera). Eles querem que o governo federal faça a recomposição do orçamento e das políticas para o setor.
 

Em função da manifestação, a Superintendência de Mobilidade Urbana (Semob-JP) fez bloqueios na Epitácio Pessoa e está orientando os motoristas para que eles peguem rotas alternativas. Os que estão vindo no sentido Praia-Centro, por exemplo, estão pegando a Avenida Maranhão, no bairro dos Estados, cruzando até o Expedicionários para conseguir à área central da capital paraibana.
 

Na decisão que determinou a desocupação do Ministério da Fazenda , o juiz federal Bruno Teixeira de Paiva havia determinado a aplicação de multa de R$ 1 mil por pessoa e por hora de ocupação, em caso de descumprimento. A aão de reintegração de posse foi proposta pela a União.
 

"O bloqueio tem impacto sobre a continuidade do serviço público e, de modo especial, sobre o direito de ir e vir de outras pessoas, importando também em risco potencialmente mais elevado, até mesmo para os próprios participantes do ato, situação que configura abuso de direito", declarou o juiz.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.