Vida Urbana

Morte da esposa: subtenente se apresenta e diz que tiro foi acidental

Em depoimento à Polícia Civil, Damião Soares negou que tenha assassinado Jaqueline Fabrícia Araújo.




Jaqueline Fabrícia morreu durante discussão com o marido dentro de casa, em Itaporanga

Após livrar o flagrante, o subtenente da Polícia Militar Damião Soares Gomes se apresentou com um advogado, nesta sexta-feira (26), à Polícia Civil, em Itaporanga. Ele negou que assassinado nesta quinta-feira (25), a própria esposa, a assistente Social Jaqueline Fabrícia Araújo, 30. A versão dele é que o tiro que tirou a vida de Jaqueline foi acidental.

Segundo o major Douglas Ferreira, comandante da Polícia Militar em Itaporanga, o subtenente disse em depoimento que o tiro teria sido acidental e ocorreu durante uma briga. A vítima chegou a ser socorrida mas morreu durante uma transferência do hospital de Itaporanga para o Hospital Regional de Patos.

“Ele disse que começou a discutir com a esposa e que a arma dele estava em cima de um móvel. Segundo ele, a esposa pegou a arma e no momento em que ele tentou tomar a pistola ocorreu um tiro acidental que atravessou o braço da mulher e ainda atingiu o tórax”, disse o comandante que acompanhou todo o depoimento na delegacia.

Recolhido

Além de se entregar, o subtenente também entregou a arma, uma pistola calibre ponto 40. Depois de prestar depoimento ao delegado de Polícia Civil, Gleberson Fernandes, o subtenente foi levado para a sede do 3º Batalhão de Polícia Militar (3ºBPM) na cidade de Patos, onde está preso.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.