Vida Urbana

Morre no hospital quarta vítima de acidente com ônibus em João Pessoa

Jessé Dias estava em situação grave desde o acidente. Ele foi uma das pessoas atropeladas pelo veículo.



Walter Paparazzo
Walter Paparazzo

Morreu a quarta vítima do acidente com o ônibus ocorrido no domingo (11), em João Pessoa. Jessé Dias dos Santos, de 40 anos, estava internado no Hospital de Emergência e Trauma da capital desde que foi atropelado pelo veículo. A morte foi confirmada em boletim divulgado pela unidade hospitalar no final da manhã desta quarta-feira (14).

O acidente aconteceu na Rua Almeida Barreto com um ônibus que faz a linha 3200 Circular. O motorista perdeu o controle e antes de sair da pista ainda bateu em dois carros. Na sequência, ele subiu na calçada e atropelou as vítimas. O veículo só parou depois de se chocar com um poste da rede elétrica. Três pessoas morreram no local do acidente.

Jessé estava internado em estado grave desde que deu entrada no hospital, tendo sido entubado na terça-feira (13). Ele passou por procedimento cirúrgico, mas devido à gravidade dos ferimentos não resistiu.

A quinta vítima do atropelamento, Maria de Lourdes Silva do Nascimento, estava internada no Trauma, mas foi transferida para um hospital particular da capital paraibana.

Morreram atropelados no acidente, Francisco Vitorino, de 72 anos, a neta dele Ana Larissa Silva Nascimento da Costa, de 8 anos, e um terceiro homem, que ainda não foi identificado.

Perícia

A perícia descartou a possibilidade de falha mecânica no ônibus envolvido no acidente. A equipe do Instituto de Polícia Científica (IPC) realizou exames técnicos na manhã desta terça-feira (13) e comprovou que o veículo não apresentava nenhum problema de funcionamento.

O IPC verificou sistema de direção, freios e suspensão do veículo com ajuda de mecânicos da Unitrans, empresa proprietária do ônibus. O gerente operacional de criminalística, Marcelo Burity, afirmou que mesmo com o descarte da falha mecânica, o IPC ainda aguarda imagens da câmera de segurança de dentro do ônibus e de exames médicos feitos no motorista envolvido no acidente para chegar a uma conclusão da causa do acidente."O laudo principal deve levar em torno de 30 dias. Os complementares, uns desses feitos nesta terça, em torno de 10 dias. Feito isso, a gente junta tudo e elabora o laudo final", comentou.

Em nota, a empresa Unitrans lamentou o acidente e se solidarizou com as famílias das vítimas. A empresa ratificou que a ocorrência se deu porque o motorista, João Batista Pequeno da Silva, de 50 anos, passou mal. Ressaltando ainda que o profissional exercia a função desde 2012 e nunca havia se envolvido em acidentes.

“Desde que soube do ocorrido, a direção da empresa não mediu esforços no sentido de agilizar o socorro às vítimas, prestar esclarecimentos às autoridades e dar toda a assistência necessária ao seu profissional e as famílias de todos os envolvidos”, diz a nota.

Ainda segundo a empresa, o veículo envolvido no acidente era novo e só tinha três meses de uso. Era um dos ônibus que foi entregue em junho no programa de renovação de frota.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.