Vida Urbana

Morre aos 80 anos o ex-prefeito de Santa Rita, Marcus Odilon

Político estava internado há quase dez dias, após passar por cirurgia.




Morreu na madrugada desta segunda-feira (24), aos 80 anos, o ex-prefeito de Santa Rita, Marcus Odilon Ribeiro Coutinho. Ele estava internado na UTI do Hospital Memorial São Francisco desde o último dia 15 de fevereiro após ter sido submetido a uma cirurgia para remoção de parte do intestino grosso, que estava obstruído.

A informação do falecimento foi confirmada pelo filho de Marcus Odilon, o ex-deputado Flaviano Quinto.

O corpo será velado na Morada da Paz, a partir das 16h30 desta segunda-feira e será sepultado nesta terça-feira (25), às 10h, no Cemitério São José de Arimateia, em Tibiri, Santa Rita.

A Prefeitura de Santa Rita decretou três dias de luto oficial no município pela morte do ex-prefeito e cancelou todos os festejos carnavalescos que aconteceriam na cidade.

Marcus Odilon

Natural de Santa Rita, Marcus Odilon é filho de Celeste Ribeiro e Flaviano Ribeiro Coutinho. Casado com a advogada Ana Lúcia Almeida Ribeiro Coutinho, ele deixa dois filhos: Flaviano Quinto e Luciana.

Formado em Direito pela Universidade Federal da Paraíba (UFPB), em 1964, Marcus Odilon nunca exerceu cargos públicos. Seguindo a tradição da família, enveredou na política, elegendo-se prefeito do município de Juarez Távora por duas vezes (1960 e 1968) e quatro vezes prefeito de Santa Rita (1976, 1988, 2004 e 2008), além de ter sido eleito para o cargo de deputado estadual por duas legislaturas. Também foi candidato a prefeito de João Pessoa na eleição de 1985 e candidato à vice-governador em 1986.

Afora política, Marcus Odilon dedicou seu tempo na administração de suas fazendas e à literatura, particularmente à pesquisa histórica. São de sua autoria as obras: Poder, Alegria dos Homens, 1965; Santa Rita do Tibiri, 1982; Gatilho e Sangue na Assembléia, 1984; Adalberto Ribeiro, o Senador da Constituinte (plaqueta), 1984; Por um governo Povo da Silva, 1984; Pequeno Dicionário de Fatos e Vultos Históricos da Paraíba, 1985; O Livro proibido do Padre Malagrida, 1986; Camumbembe e seus parentes (org.), 1997; Uma Revolução em Santa Rita, 1999; A Humanidade sem culpa, 1994; Antropofagia, Existiu ou Não, 2000, Água Doce de Ontem, Juarez Távora de Hoje, 2000; Doutor Fonseca, 2000; Camillo de Hollanda, 2ª. ed, 2001; Logradouros da Grande João Pessoa – Personagens e Fatos, co-autoria de Natércia Suassuna Dutra Ribeiro Coutinho, 2001; Filhos de Deus, 2002; Santa Rita de ontem e de sempre, 2004.

 

Comunico o falecimento de meu pai Marcus Odilon

Publicado por Flaviano Quinto em Segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.