Vida Urbana

Moradores do Renascer fecham BR-230 em protesto

Moradores do Renascer reclamam do grande número de acidentes e fecham BR-230 com cruzes, troncos e pneus. Eles exigem instalação de semáforo na área.



Natália Xavier
Natália Xavier
Moradores fecham a BR-230 em protesto

Phelipe Caldas

Um grande número de moradores da comunidade Renascer, em Cabedelo, interrompeu nesta terça-feira (22) o trânsito na BR-230 (KM 12), no sentido João Pessoa/Cabedelo, em protesto ao elevado número de acidentes que acontecem no local e exigindo a instalação de um semáforo. Eles levaram 20 cruzes de madeira e fecharam a estrada federal com bicicletas, cadeiras, troncos, pedaços de paus e pneus. O protesto durou duas horas (entre 15h e 17h) e provocou um enorme engarrafamento.

A pedagoga Lis Gomes estava presa no engarrafamento e telefonou para a redação do Paraíba1 para descrever a cena. “São quase 200 pessoas. Eles fazem muito barulho e muitos deitaram no chão. Não deixam nenhum carro passar. A Polícia Rodoviária Federal foi acionada, mas até agora não conseguiram reabrir o trânsito na área”, narrou.

Ainda de acordo com Lis, muitas pessoas carregavam faixas exigindo o fim dos acidentes na BR-230, e um carro de som da Associação dos Moradores do Renascer II parabenizava a população e agradecia por eles terem atendido ao chamado.

Homens da Polícia Civil e da Sttrans foram acionados e tentavam desviar o trânsito, mas mesmo assim pôde ser visto um grande engarrafamento de carros, ônibus e caminhões.

A reportagem entrou em contato com Rosivaldo Galam, presidente da Associação e organizador do protesto, e ele destacou o “exemplo de cidadania” que significou o protesto. “Estamos cansados do grande número de acidentes registrados no local. Mas avançamos na luta, porque os órgãos públicos só se fazem presentes quando se sentem pressionados”, destacou.

Ele disse que na manhã desta quarta-feira (23) acontece o segundo ato da mobilização, quando uma comissão vai levar ao superintendente do Dnit, Expedito Leite, um ofício solicitando a instalação de um semáforo no local. “Vamos novamente atrás do Dnit, na expectativa que desta vez eles atendam nossas reivindicações”, completou.

Diálogo – O superintendente Expedito Leite, por sua vez, classificou a questão como sendo um “assunto mastigado”, mas garantiu que está aberto ao diálogo. Ele lembrou que existem lombadas eletrônicas na área próxima ao Renascer, mas lamentou o fato delas não estarem funcionando no momento.

Ele diz, contudo, que trabalha na tentativa das lombadas voltarem a funcionar o mais rápido possível, e disse que isto deve acontecer entre outubro e dezembro. Paralelo a isto, Expedito garante que está em fase de projeto a construção de uma passarela, para evitar que os moradores do bairro continuem atravessando a pista da BR-230.

Sobre o semáforo, ele diz que existe uma decisão do Dnit em colocar semáforos em BR’s apenas em situações extremas, mas que ainda assim vai analisar a questão. “Enquanto isto nós estamos reforçando a fiscalização vertical e, em parceria com a PRF, utilizando de fiscalização eletrônica para conter os excessos. Nós entendemos e respeitamos a mobilização dos moradores, mas infelizmente nem tudo depende da geste”, explicou.

Em relação a comissão que vai ao Dnit para entregar um ofício, Expedito disse que está viajando hoje para audiência em Brasília e que não estará amanhã na cidade. Mas garantiu que designará um engenheiro para receber os moradores do Renascer.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.