Vida Urbana

Matança de Igaracy: entidades realizam protesto no Busto de Tamandaré neste domingo

Protetores dos animais pedem Justiça para o que chamam de chacina dos 50 cães.




Um grupo de internautas e de ONgs de proteção animal realizam neste domingo (11) uma mobilização para cobrar Justiça pela matança dos cerca de 50 cachorros sacrificados na cidade de Igaracy, no Sertão paraibano, na última terça-feira (6). A manifestação acontece a partir das 15h30 no Busto de Tamandaré, em Tambaú.

Os organizadores do protesto pedem que os participantes vão ao evento vestidos de preto e levando o seu cão de estimação. Animais resgatados serão levados para mostrar que não é preciso eutanásia, muito menos da forma como aconteceram as mortes.

Um ato similar aconteceu na noite desta sexta-feira (9), em Campina Grande, no Monumento ‘Os Pioneiros da Borborema’, às margens do Açude Velho.

Os manifestantes inicialmente fizeram uma virgília, com velas, para lembrar a morte dos animais e em seguida saíram em caminhada empunhando faixas a cartazes.

Repercussão na internet

O animais foram sacrificados pela prefeitura de Igaracy na última terça-feira, sob alegação de que os cães estariam com leishmaniose. O caso ganhou imediata repercussão nacional. A ativista em defesa dos animais, Luísa Mell, se pronunciou nas redes sociais para criticar o ato e a Prefeitura da cidade. “Uma verdadeira chacina de cães aconteceu em Igaracy, Paraíba. E a Prefeitura afirma que irá continuar!!”, publicou em seu Instagram.

Nas redes sociais foram registrados protestos, inclusive fora do Brasil. Da Itália, a internauta Rosa Selvagem enviou à ONG Quatro Patas diversas imagens de moradores com mini-cartaz em que também cobram, em italiano, por Justiça aos animais. Outras manifestações também podem ser conferidas através da Hastag #chacinadeigaracy.

Possível crueldade

Após denúncias de moradores e da repercussão na  mídia, a Polícia Civil iniciou uma investigação para apurar se os cães foram mortos de forma cruel. O delegado da Polícia Civil de Itaporanga, Glêberson Fernandes, responsável pelo inquérito que investiga a morte de cães na cidade de Igaracy, na região do Sertão, revelou na última quinta-feira (8) que os animais recolhidos pelo município foram sacrificados com resquícios de crueldade, ou seja, diferente da versão apresentada pelo município que os animais haviam sido submetidos ao procedimento de eutanásia.  Após serem mortos, os corpos dos cães foram despejados em uma área próxima ao lixão da cidade.

O secretário de saúde da cidade, José Carlos Maia, foi exonerado do cargo na quinta-feira. Para o Ministério Público Estadual da Paraíba (MPPB), ele violou “aos princípios da legalidade, moralidade e legitimidade, ineres ao cargo público” ao ordenar a matança de animais na cidade.

Resposta da prefeitura

Em nota, a prefeitura de Igaracy informou que foram mortos 31 cães e que, em atendimento à recomendação do Ministério Público exonerou o secretário de saúde, José Carlos Maia, inclusive do seu cargo efetivo de médico veterinário, até o término das investigações.

Esclarece, ainda, que “a prefeitura preconiza que seus agentes ou servidores realizem suas ações sob as boas práticas e que estas estejam pautadas nos protocolos oficiais e normas sanitárias atinentes à espécie, como também não pactua com desvio de conduta perpetrado no exercício das funções públicas”.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.