Vida Urbana

Infraero deixa de operar no Aeroporto Castro Pinto a partir desta segunda

Empresa estatal espanhola Aena é quem ficará responsável pelo terminal.




A gestão do Aeroporto Castro Pinto, na grande João Pessoa, vai ser transferido da Infraero para a estatal espanhola Aena Desarrollo Internacional nesta segunda-feira (24). De acordo com a Infraero, a empresa vai gerir o aeroporto até às 23h59 deste domingo (23) e precisamente à 0h a gestão passará para a Aena. A definição da data foi referendada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).

Com o intuito de apoiar e garantir segurança à navegação aérea nas áreas de tráfego do Aeroporto de João Pessoa, a partir desta segunda-feira, a Infraero permanece apenas na administração da torre de controle do terminal.

O aeroporto paraibano tem capacidade para receber 2,3 milhões de passageiros ao ano e encerrou 2019 com mais de 1,3 milhão de viajantes, entre embarques e desembarques. Atualmente, o aeroporto conta com 16 voos regulares de quatro companhias aéreas: Azul, Gol e Latam. As rotas interligam João Pessoa a cidade a diversos destinos brasileiros, como Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Brasília (DF), Campina Grande (PB) e Recife (PE).

Leilão

A Aena venceu o leilão do Bloco Nordeste, em março do ano passado, e arrematou seis aeroportos da região por R$ 1,9 bilhão. Também fazem parte do Bloco Nordeste os aeroportos de Juazeiro do Norte (CE), Campina Grande (PB), Maceió (AL) e Aracaju (SE), entregues à Aena nos primeiros meses de 2020, bem como o Aeroporto de Recife (PE), a ser entregue no dia 2 de março.

“Quero agradecer o apoio e a dedicação dos profissionais da Infraero que contribuíram para que esse processo de transferência da gestão ocorresse da melhor forma possível”, ressaltou o presidente da Infraero Brigadeiro Paes de Barros.

Paes de Barros acrescentou ainda que os demais aeroportos operados pela Infraero continuarão a ter o mesmo nível de performance até que as atividades sejam totalmente transferidas à iniciativa privada. A empresa já finalizou as transições dos aeroportos dos blocos Sudeste e Centro-Oeste, e segue a fase de operação assistida nos demais do Bloco Nordeste, que continua até o início de março deste ano.

“Seguiremos contribuindo com a diretriz do Governo Federal, operando todos os terminais com os mesmos níveis de qualidade e segurança até que as atividades sejam transferidas à iniciativa privada”, afirmou o presidente da Infraero.

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.