Vida Urbana

Indígenas interditam trecho da BR-101 durante protesto

Grupo protesta contra medidas do Ministério da Saúde que, segundo eles, representam a ‘municipalização’ da assistência à saúde




Índios da etnia potiguara interditam os dois sentidos da BR-101, no quilômetro 29, próximo à cidade de Mamanguape, no Litoral Norte, nesta quarta-feira (27). Os manifestantes são contrários à extinção da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), do Ministério da Saúde (MS). A medida é defendida pelo ministro Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS), que discursa hoje na Comissão de Assuntos Sociais do Senado Federal.

Segundo o representante indígena, Capitão Potiguara, o protesto faz parte de uma agenda nacional de atos, propostos por movimentos indígenas. De acordo com ele, grupos de diversas partes do país também promovem bloqueios em rodovias federais durante todo o dia.

“Alguns parentes nossos estão acompanhando o ministro no Senado para exigir que não seja publicado o decreto que acaba com a Sesai; recebemos a informação de que na Bahia, Pernambuco, Ceará e os Xavantes, no Amazonas, estão bloqueando rodovias também. É um movimento nacional”, destacou o representante. “É uma orientação nacional do movimento indígena para que a Sesai seja mantida, por se tratar de uma luta dos movimentos e uma conquista que não pode ser perdida.” disse.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), aproximadamente 80 manifestantes estão concentrados no local. De acordo com o grupo, são esperados mais de mil indígenas no ponto de bloqueio até o final dos protestos.

Para os indígenas, a proposta do Ministério da Saúde é repassar para municípios e Estados a responsabilidade em promover à assistência à saúde, hoje integrada à pasta através da Sesai. Esta não é a primeira vez que os índios protestam contra o que chama de “municipalização” dos serviços de assistência à saúde. No último 14 de fevereiro, eles interditaram o mesmo trecho da rodovia em protesto contra as medidas do MS.

Em discurso na Comissão de Assuntos Sociais do Senado, o ministro Luiz Henrique Mandetta comentou as mudanças já realizadas no Ministério da Saúde, durante o atual mandato. A primeira medida apresentada por ele aos parlamentares foi a divisão da Secretaria de Assistência à Saúde (SAS) em duas novas entidades, sendo uma voltada para atenção primária e indígena e outra para atenção especializada. Por volta das 12h45, o ministro ainda respondia dúvidas e debatia mudanças na pasta com senadores.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.