Vida Urbana

Inadimplência do consumidor em CG aumenta 8% em janeiro

CDL vê reflexo de dificuldades para os consumidores.



Divulgação
Divulgação
CDL diz que aumento de impostos e das tarifas de energia elétrica, transporte urbano, água e esgoto oneram bolso do consumidor campinense

A pesquisa mensal que mede a inadimplência no comércio de Campina Grande, realizada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) em Parceria com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), apontou que os campinenses iniciaram o ano devendo mais que no ano passado. De acordo com o órgão de proteção ao crédito, durante todo o mês de janeiro, 1.147 consumidores adquiriram alguma dívida, número 8% maior que em 2016 quando 1.065 campinenses entraram na lista de devedores.

A explicação para a alta da inadimplência, segundo o presidente da CDL, Artur Bolinha, é o reflexo das crescentes dificuldades que o consumidor está encontrando para honrar seus compromissos financeiros. “Aumento de impostos e taxas (como IPTU e IPVA), realinhamento de vários preços administrados (energia elétrica, transporte urbano, água e esgoto e combustíveis), elevações nas taxas de juros e enfraquecimento do mercado de trabalho estão entre as causas que começam a delinear um cenário mais preocupante para a inadimplência do consumidor”, destacou.

As dívidas não bancárias continuam sendo as maiores responsáveis pela alta da inadimplência. Essas dívidas correspondem a cartões de crédito, financeiras, lojas em geral e prestadoras de serviços como telefonia e fornecimento de energia elétrica e água, entre outros.

Atualmente mais de seis mil consumidores campinenses estão com alguma dívida no cadastro de devedores do SPC Brasil. Número preocupante para o varejo, pois quanto mais consumidores negativados menor é o movimento e as vendas no comércio.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.