Vida Urbana

Hospitais de CG vão ser abastecidos por carros-pipa em dias de racionamento

Água vai ser retirada de reservatórios para abastecer unidades de saúde.



Leonardo Silva
Leonardo Silva
Medida visa atender, sobretudo, aos pacientes submetidos ao tratamento de hemodiálise

Os hospitais de Campina Grande vão ser abastecidos por carros-pipa nos dias em que o fornecimento de água for interrompido em virtude do racionamento. Essa medida foi acordada durante uma audiência realizada na segunda-feira (18) entre a Promotoria de Defesa da Saúde, a Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) e os representantes das unidades hospitalares da cidade. 
 
Pelo acordo, sempre que houver necessidade, a Cagepa vai disponibilizar água por meio de carros-pipas à rede hospitalar de Campina Grande nos dias de racionamento, água essa que vai ser retirada dos reservatórios do próprio órgão a fim de garantir o abastecimento nas unidades de saúde. Para isso, os hospitais devem encaminhar um ofício à Cagepa indicando os carros que vão ser utilizados, a capacidade de água de cada um deles e a identificação dos condutores. As inspeções para avaliar o estado dos carros-pipas e a qualidade da água vão ficar a cargo da vigilância ambiental.
 
Segundo a promotora de Defesa dos Direitos da Saúde, Adriana Amorim, com essa medida o Ministério Público tenta afastar o risco de interrupção no atendimento à população, sobretudo aos pacientes que são submetidos ao tratamento de hemodiálise. Em Campina Grande, quatro hospitais oferecem esse serviço, que são o Antônio Targino, o João XXII, o Dr Edgley e a Fundação Assistencial da Paraíba (FAP). De acordo com dados fornecidos pelos próprios hospitais, eles precisam de 500 mil litros diários de água para garantir o seu pleno funcionamento. 
 
Conforme o presidente da Associação dos Hospitais de Campina Grande, José Targino, é necessário se pensar em providências para garantir o abastecimento nas unidades de saúde da cidade, uma vez que se lida com vidas nesses locais.   
 
Medidas paralelas 
 
Para garantir o abastecimento de água, alguns hospitais de Campina Grande perfuraram poços, como foi caso do Hospital de Emergência e Trauma e o Doutor Edglay. Conforme o diretor administrativo da Secretaria Municipal de Saúde, Jaime Rodrigues, há cinco meses que a contratação de carros-pipa já vinha sendo providenciada para o Dr Edglay e o Instituto de Saúde Elpídio de Almeida (Isea). Essas medidas são para minimizar os impactos da atual crise hídrica. 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.