Vida Urbana

Grande João Pessoa registra cinco homicídios no domingo

Casos aconteceram em bairros da capital e na cidade de Bayeux. Em um dos crimes, duas pessoas foram mortas.




Somente neste domingo (15), cinco assassinatos foram registrados na Grande João Pessoa. Foram dois no bairro da Imaculada, em Bayeux; um no Rangel; um nos Funcionários; e um no bairro do 13 de Maio, em João Pessoa. 

 O primeiro caso ocorreu ainda na madrugada do domingo, no bairro do Rangel. Um jovem de 21 anos, identificado como José Klewton Guedes Marinho, morador do bairro, foi encontrado morto em um poço desativado com cerca de 30 metros de profundidade. Os moradores do bairro escutaram vários tiros e, depois, uma pessoa viu um jovem ser arrastado até a Rua José Soares, também conhecida como Rua da Bala. A polícia foi acionada mas, ao chegar ao local, não encontrou ninguém ferido. Um rastro de sangue, porém, levava ao terreno onde o corpo do jovem foi encontrado dentro do poço.
 
A vítima estava em liberdade há cinco meses após passar quase dois anos preso por roubo. Segundo o delegado João Ricardo Moreira, Klewton era usuário de drogas e, portanto, o crime pode ter relação com as drogas. "Ele foi alvo de disparo de arma de fogo e também de pedradas". No dia anterior a esse crime, na mesma região, um homem de 29 anos, apelidado por "Paulista", foi morto a tiros. Ele era de São Paulo e passava férias no bairro do Rangel. Não se sabe ainda quem cometeu o crime ou se ele tem alguma ligação com a morte de José Klewton.
 
Também no domingo, ocorreu um duplo assassinato na cidade de Bayeux. Leandro Soares da Silva, de 36 anos, e Rayane Rodrigues de Mesquita, de 22 anos, foram assassinados no bairro da Imaculada, enquanto estavam em uma moto e foram perseguidos por dois criminosos. "Rayane ainda chegou a pedir para que eles não fizessem aquilo e, em seguida, dispararam vários tiros contra a própria Rayane", conta o delegado Paulo Josafá. Os peritos encontraram no sutiã da vítima dez pacotes de cocaína em pequenas quantidades além de um saquinho com dinheiro. "Era como se ela estivesse fazendo uma entrega", pontua o delegado.
 
O crime pode estar relacionado ao tráfico de drogas, embora a família negue a situação. Há ainda uma outra linha de investigação, que leva em conta o fato de que Leandro era agiota. "Ele recebeu uma ligação por volta das 18h para receber esse dinheiro lá no bairro de Imaculada", conta o delegado. Outras evidências apontam, ainda, que cerca de duas semanas atrás Rayane teria recebido ameaças de grupos crimonosos para que ela se mudasse da área em que morava.
 
No bairro do 13 de Maio, Nelson Paulino Filho, de 50 anos, foi a vítima de mais um assassinato. Imagens das câmeras mostram que o carro do homem que estava trabalhando como alternativo estava sendo perseguido. "Os quatro passageiros que vinham com ele, após o fato, quando ele bate na calçada, já em óbito, os passageiros saem, incluindo uma mulher, como se tivesse sido atingida por um tiro. Um dos ocupantes, depois de andar uns 30 metros, volta, abre a porta do motorista, olha alguma coisa e sai, deixando o carro aberto", descreve o delegado Paulo Josafá. 
 
Ainda no domingo, ocorreu um crime inusitado: o filho de um PM reformado, de 23 anos, morreu após confronto com a polícia no início da noite, no bairro do Funcionários. O jovem é Aluísio Cândido Maciel. De acordo com o delegado, o jovem teria atirado contra a equipe da PM, fazendo com que os policiais revidassem. O jovem ainda foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, onde acabou morrendo. "Aqui foi feita a apreensão da arma utilizada e os PMs foram ouvidos. Vai ser instaurado o inquérito policial para investigar o caso", aponta o delegado. 
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.