Vida Urbana

Funjope inicia inscrições para cadastrar beneficiários da Lei Aldir Blanc em João Pessoa

Devem ser distribuídos R$ 5,65 milhões com artistas e trabalhadores da cultura na capital.




A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio de sua Fundação Cultural (Funjope), está recebendo os cadastros de artistas e trabalhadores da cultura assim como espaços e entidades culturais com vistas ao acesso aos recursos da Lei Aldir Blanc. O setor cultural da Paraíba deve receber mais de R$ 37 milhões do Governo Federal, sendo R$ 5,65 milhões para cultura pessoense.

Para realizar o cadastramento, a Funjope adaptou o JP Cultura, plataforma gratuita de mapeamento do cenário cultural pessoense. Para fazer o cadastro, basta entrar no site, clicar no menu ‘Entrar’ e depois em ‘Registrar-se’. No entanto, após a publicação do decreto que regulamenta a concessão do benefício, esta inscrição pode precisar de atualização.

A Lei Aldir Blanc destina R$ 3 bilhões para setor cultural em todo o país, um dos mais afetados pela pandemia do Coronavírus. Os recursos serão destinados para organizações culturais, trabalhadores informais, pequenas e microempresas.

Além da verba da lei Aldir Blanc, o auxílio emergencial de R$ 600 mensais para os trabalhadores da área cultural deverá ser prorrogado, assim como o auxílio concedido pelo governo federal aos trabalhadores informais, microempreendedores individuais, autônomos e desempregados.

Preparativos

A diretoria da Funjope vem mantendo reuniões semanais para discutir ações a serem implementadas e na sexta-feira (3) a Diretoria de Ação Cultural realizou uma reunião com os técnicos para intensificar os preparativos para que o município possa receber os recursos da Lei Aldir Blanc e executar o programa, beneficiando os artistas da Capital.

Segundo o diretor executivo da Funjope, Maurício Burity, esse recurso é de extrema relevância para os artistas. “A classe artística foi uma das mais prejudicadas pela pandemia do Coronavírus, então esses recursos vêm em boa hora, pois vamos poder ajudar os artistas, que estão sem poder trabalhar”, disse.

Já o diretor de Ação Cultural da Funjope, Sandoval Nóbrega, ressaltou que “nós vamos ouvir o movimento cultural e vamos tomar todos os cuidados para que a lei atinja plenamente os seus objetivos, que os recursos sejam aplicados com muita responsabilidade e que possamos contribuir para iniciar o processo de reestruturação da cadeia produtiva da cultura no município”.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.