Vida Urbana

Funcionários dos Correios entram em greve por tempo indeterminado em todo o país

Categoria é contra revogação de Acordo Coletivo, e pede por garantia de direitos em meio à pandemia.




Foto: Arquivo Pessoal / Alex Albino – Ascom Sind Correios de Campina Grande

Os funcionários da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos  entraram em greve. A decisão foi anunciada às 22h da segunda-feira (17) pela Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas dos Correios e Similares (Fentect), e deve se estender por tempo indeterminado.

Conforme a federação, os funcionários são contra a privatização da estatal e contestam a “negligência com a saúde dos trabalhadores” durante a pandemia da Covid-19.

Ainda de acordo com a Fentect, o Acordo Coletivo que deveria entrar em vigência até 2021 foi revogado neste mês de agosto. Com a revogação, vários auxílios prestados pela estatal à categoria foram suspensos.

“Foram retiradas 70 cláusulas com direitos como 30% do adicional de risco, vale alimentação, licença maternidade de 180 dias, auxílio creche, indenização de morte, auxílio creche, indenização de morte, auxílio para filhos com necessidades especiais, pagamento de adicional noturno e horas extras.”, divulgou a Fentect .

Em nota, os Correios informaram que pretendem manter um diálogo com seus funcionários para assegurar a saúde e os benefícios que eles possuem por direito. A estatal também informou que possui um plano de continuidade para que os serviços continuem sendo fornecidos normalmente.

Saiba o que fazer em caso de atrasos por conta da greve dos Correios

Encomendas: Empresas que utilizam dos serviços de entrega fornecidos pelos Correios devem encontrar outras formas de fazer os produtos chegarem às casas dos clientes. Os clientes podem, portanto, reivindicar pelos produtos junto à Justiça, em caso de atraso exacerbado.

Faturas de cobrança: As empresas que enviam suas cobranças por meio de correspondência postal devem passar a enviá-las através de outros meios, como via internet, ou disponibilizá-las na sede do estabelecimento.

Pagamento obrigatório: O cliente devem entrar em contato com a empresa antes da data de vencimento da fatura para saber se o atraso tem relação com a greve dos Correios e encontrar outra forma de ter acesso ao boleto para realizar o pagamento.

Contas com vencimento prorrogado: Caso o consumidor não obtenha retorno das empresas quando pedirem pela prorrogação do pagamento de alguma conta vencida, os órgãos de defesa do consumidor, como o Procon, devem ser contatados para viabilizar um diálogo entre as partes.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.