Vida Urbana

Entrevista: em alta definição, a copa é nossa!

Rede Paraíba de Comunicação investe em tecnologia de ponta para levar o sinal digital a 82% dos paraibanos até 2015.



Kleide Teixeira
Kleide Teixeira
Superintendente da Rede Paraíba de Comunicação fala sobre o processo de interiorização do Sinal Digital

O mês de maio deste ano está gravado na história do Estado. Foi nele que aconteceu um dos projetos mais arrojados da televisão paraibana: levar qualidade de cinema para 70% da população antes da Copa do Mundo Fifa 2014.

A ousada iniciativa das TVs Cabo Branco e Paraíba foi concluída no dia 15 deste mês, em Cajazeiras, a quinta cidade da rota de interiorização do sinal digital que incluiu também Itabaiana, Guarabira, Patos e Sousa.

Para essa expansão da HDTV, novas antenas foram instaladas na Serra do Cajá, na Serra da Jurema, no Pico do Jabre, no Morro do Cristo Rei e em prédios nos centros de Sousa e Patos. Cinco cidades receberam em praças públicas e com muito entusiasmo os eventos de inauguração.

Elas representam os 55 municípios que passaram a ser cobertos com a tecnologia, juntando-se aos 31 que ficam na região polarizada por João Pessoa ou Campina Grande e já eram atingidos. O resultado de todo esse esforço e investimento se traduz em mais de dois milhões e 600 mil telespectadores beneficiados com a alta definição.

O pioneiro processo de implantação da TV digital na Paraíba começou em João Pessoa com a fase experimental, no começo de 2009. Em 6 de julho do mesmo ano, a TV Cabo Branco se tornou oficialmente a primeira emissora a inaugurar a tecnologia no Estado. Em seguida, veio Campina Grande, em junho de 2013, fazendo da TV Paraíba a primeira emissora em HD do interior. Agora, são 70% dos paraibanos. Em 2015, 82% desse nosso povo que adora ver uma novela, um telejornal, uma entrevista ou uma boa partida de futebol.

ENTREVISTA


Guilherme Lima

Superintendente das TVs Cabo Branco e Paraíba


Como a inauguração do sinal digital foi recebida pela população nos cinco municípios que sediaram os eventos?

A recepção foi excelente, a melhor possível. Acho que muitas pessoas não sabiam como era a qualidade do sinal em alta definição.

O sinal analógico, com o qual estão acostumadas, é um sinal de baixa qualidade, que se degrada à medida que é repetido. Com a tecnologia digital é diferente: o sinal exibido em Cajazeiras, por exemplo, possui a mesma qualidade daquele visto por moradores de Campina Grande, onde está sediada a TV Paraíba, que é a emissora responsável por gerá-lo.

As notícias pós-inaugurações são de que existe uma procura frenética por antenas e antenistas, o que é uma indicação clara de que as pessoas estão buscando sintonizar as TVs Cabo Branco e Paraíba para verem a imagem das duas emissoras em alta definição, especialmente neste momento de realização da Copa do Mundo. Nós fizemos um grande esforço nesse início de ano para entregarmos o sinal digital das duas emissoras nas regiões polarizadas pelos municípios de Itabaiana, Guarabira, Patos, Sousa e Cajazeiras.

Sabíamos que estaríamos dando um grande presente aos moradores do brejo e do sertão paraibanos e que só nós poderíamos dá-lo. Só as TVs Cabo Branco e Paraíba chegam ao interior em alta definição.

Desde 2009, a Rede Paraíba investe em tecnologia para implantar a alta definição. Quanto já foi investido desde então?

Os investimentos são da ordem de dezessete milhões de reais. Esse montante inclui os gastos feitos até o momento, não só com a compra de equipamentos e pagamento dos impostos de importação, mas também com a realização de obras para adequação da planta das duas emissoras, com reformas nas estações repetidoras, com a montagem de novos estúdios, com a abertura e reestruturação de escritórios no interior do Estado, com treinamento de pessoal técnico, com a obtenção de licenças ambientais e de uso de canais e frequências junto à Anatel, com a elaboração do plano de negócio para financiamento dos investimentos e com inúmeras outras ações.

Quais são as expectativas comerciais e estratégicas do grupo com a interiorização do sinal digital?

A interiorização do sinal digital abre novas perspectivas comerciais para as TVs Cabo Branco e Paraíba. A consequência imediata desse processo é o crescimento da audiência das duas emissoras porque as pessoas vão querer assistir à programação nacional da Rede Globo e às notícias do seu Estado em alta definição.

A expectativa é de que os anunciantes com atuação em âmbito estadual venham a privilegiar ainda mais os espaços comerciais das nossas TVs, porque eles sabem que uma imagem em alta definição agrega valor a suas mensagens comerciais. Esperamos também que o crescimento de audiência venha atrair novos anunciantes, especialmente em Sousa, Patos e Guarabira, que são polos comerciais.

Nós agora iremos estreitar o relacionamento comercial com o mercado dessas regiões buscando criar novas oportunidades de negócio para o Grupo.

A interiorização do sinal digital permite que uma maior parte da população passe a assistir à programação local, já que as parabólicas podem ser aposentadas. Esse aumento na quantidade de telespectadores do interior vai gerar mudanças na programação das emissoras?

Como disse anteriormente, a expectativa é de que a nossa audiência cresça com a interiorização do sinal digital. Com esse crescimento, a tendência é haver uma redução na quantidade de antenas parabólicas instaladas porque muitas pessoas irão rapidamente perceber que a qualidade do sinal em alta definição é muito superior à da captada por antenas parabólicas, sem mencionar o fato de que elas não trazem as notícias do Estado.

A velocidade de desativação das antenas parabólicas irá também depender da frequência com que incluiremos notícias do interior do Estado nos nossos telejornais.

Mas estamos conscientes desse desafio e nossas equipes jornalísticas estão motivadas a prestar o melhor serviço possível. A meta de cada escritório é fazer várias pautas diárias sobre o que de importante acontece no interior do Estado.

Agora que foi concluída a expansão do sinal digital para 70% da população paraibana, qual é o próximo passo?

O próximo passo é entregar a quarta e última etapa do projeto digital das duas TVs, prevista para ocorrer até junho de 2015. Com isto, estenderemos a cobertura a novas regiões do Estado, polarizadas pelos municípios de Solânea, Cuité, Picuí, Pombal, Monteiro, Conceição, São João do Rio do Peixe e Catolé do Rocha. Com a entrada dessas regiões, a cobertura atual das duas TVs, que é de dois milhões e seiscentos mil habitantes, passará a ser de três milhões de habitantes.

Em números relativos, essa cobertura contemplará uma área na qual reside 80% da população e que gera 87% do PIB paraibano. Finalizada essa quarta e última etapa, as TVs Cabo Branco e Paraíba estarão entre aquelas a possuir maior cobertura no país, porque poucas conseguirão alcançar percentuais tão expressivos, mesmo as que tenham optado por distribuir o sinal através de satélite regional.
 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.