Vida Urbana

Enfermeiros protestam contra limitação de atividades em PSFs

Manifestantes alegam que a limitação representa "o fim da enfermagem".
 



Gabriel Costa/G1
Gabriel Costa/G1
O protesto começou em frente ao Lyceu Paraíbano e se dirigiu ao Conselho Regional de Medicina da Paraíba

Na tarde desta terça-feira (17), enfermeiros foram às ruas protestar contra a proibição de revalidar receitas médicas e de requisitar consultas e exames dada pelo juiz da 20ª Vara da Justiça Federal de Brasília, Renato Borelli. O protesto começou em frente ao Lyceu Paraibano e seguiu até a sede do Conselho Regional de Medicina da Paraíba, localizado na Avenida Dom Pedro II. O protesto foi simultâneo em várias cidades do Brasil.

Segundo a estudante de enfermagem Rebeca Medeiros, de 20 anos, "nós estudamos para ter competência para fazer isso, solicitar e realizar exames". Enfermeiros eram responsáveis por fazer acompanhamento de pré natal, realizar exame citológico, entre outros. "Isso prejudica completamente, porque os médicos ficaram prejudicados, sobrecarregados", completa a estudante.

A decisão do juiz afeta diretamente a ação de enfermeiros que trabalham nas unidades do Programa da Saúde da Família, que autoriza os profissionais a realizarem tais tarefas. De acordo com o presidente do Conselho Federal de Medicina, Carlos Vital, "o que se viu, na prática, é que enfermeiros vinham desempenhando a atividade sem qualquer tipo de acompanhamento", declarou.

Todos os presentes estavam de camisa preta, porque, segundo os participantes, tal decisão seria considerada como "o fim da enfermagem". O protesto foi pacífico e teve palavras de ordem em defesa da profissão e se encerrou por volta das 16h40.

Durante o protesto, o prédio do CRM não tinha ninguém responsável para falar a respeito. Apenas informaram que não estavam sabendo da movimentação.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.