Vida Urbana

Empresários 'cobram reabertura das praças de alimentação dos shoppings de João Pessoa

Estabelecimentos estão sem servir diretamente aos clientes há quatro meses. Restaurantes fora das praças estão funcionando.




Fechados para servir diretamente ao público há quatro meses, proprietários de lanchonetes e restaurantes das praças de alimentação de shoppings centers de João Pessoa cobram do prefeito Luciano Cartaxo (PV) a reabertura dos seus estabelecimentos. Mesmo com a reabertura de bares e restaurantes com 50% de sua capacidades, na quarta etapa do plano de flexibilização para a retomada da economia, iniciada na última segunda-feira (27), os negócios de alimentos nas praças de alimentação seguem liberados para funcionamento apenas com delivery e retirada direta no balcão.

Segundo o empresário Wilson Moraes, que tem estabelecimentos alimentícios em dois shoppings da capital, cerca de 250 famílias dependem diretamente do negócio e estão sendo prejudicados com a limitação no atendimento. “A gente não entende o que levou o prefeito Luciano Cartaxo a impedir o funcionamento desses estabelecimentos. Pedimos a sensibilidade do prefeito para que nos receba e nos apresente o plano de retomada”, declarou.

Ainda segundo o empresário, os protocolos de segurança para evitar a contaminação dos clientes pela Covid-19 são superiores a muitos estabelecimentos que já foram abertos. “Nos shoppings em que tenho atividade, são protocolos superiores até aos do Sírio Libanês [Hospital] e de outras capitais do país. A gente quer suplicar ao prefeito que tenha sensibilidade com esses empresários e essas famílias que dependem desses negócios para que a gente possa voltar a trabalhar”, indagou Moraes.

A empresária Janine Lucena destacou que João Pessoa é a única capital do Nordeste que está com as praças de alimentação dos shoppings sem funcionar. “Não entendemos o critério que foi feito aqui: restaurantes dentro do shopping que têm mesa própria podem abrir seu estabelecimento e quem faz parte da praça não pode. O shopping está cumprindo os procolos, basta respeitar o limite de 50%”, argumentou.

O secretário de saúde de João Pessoa, Adalberto Fulgêncio, disse que deve receber os empresários para uma audiência na terça ou quarta-feira da próxima semana para discutir essa situação.

 

 

 


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.