Vida Urbana

Empresária é vítima de sequestro em Campina

Dona de restaurante passou uma hora em poder dos ciminosos, que levaram seu carro, dinheiro e abandonaram a vítima em uma rua.




Durante a madrugada de ontem uma empresária foi abordada por quatro homens armados no Centro da cidade de Campina Grande, no Agreste da Paraíba. A vítima ficou em poder dos criminosos por cerca de uma hora e foi liberada no Alto Branco.

A Polícia Civil investiga se o grupo que cometeu o crime é o mesmo que sequestrou e espancou um professor na semana passada.

Tudo começou quando os bandidos, em duas motos, fecharam o carro conduzido pela vítima no semáforo do cruzamento entre as avenidas Canal e Severino Cruz, no Centro da cidade. A empresária voltava do seu restaurante para casa.

De acordo com o esposo da empresária, que não quis se identificar, inicialmente dois dos criminosos entraram no carro e conduziram o veículo até o bairro José Pinheiro, onde as motos foram guardadas. “Eles foram com minha esposa direto para o bairro José Pinheiro e guardaram as motos numa garagem e em seguida os quatro ficaram dentro do veículo, junto com ela e circularam por toda a cidade”, contou.

Segundo ele, os criminosos inicialmente pretendiam liberar a vítima no bairro Jeremias. “Minha esposa implorou muito para não ser deixada no Jeremias, foi quando eles decidiram liberá-la na avenida Manoel Tavares, no bairro Alto Branco, após ter ficado com ela por cerca de uma hora rodando pelos bairros da cidade", revelou o marido da empresária.

Ele ainda acrescentou que um morador que ouviu o choro da vítima foi quem prestou socorro à empresária. Ainda de acordo com o esposo da vítima, os criminosos estavam bêbados, com o rosto descoberto e por várias vezes falaram que iriam utilizar o carro para praticar assaltos em cidades próximas a Campina Grande.

Após liberar a empresária, o grupo fugiu levando da vítima um veículo Civic de cor cinza chumbo, placa MMW-6767 e cerca de R$ 3,5 mil. Ela não foi agredida pelos criminosos, mas ficou em estado de choque, de acordo com o que disse o marido. O dinheiro era do restaurante.

O delegado de Roubos e Furtos, Gláuber Fontes, disse que as investigações estão sendo iniciadas e que ainda não é possível confirmar que este caso está ligado ao sequestro relâmpago contra um professor na última semana. “Nós ainda estamos levantando os dados, mas iremos sim verificar se este grupo é o mesmo que agiu contra o professor na última semana", afirmou.

Segundo o delegado, não há um levantamento sobre o número de sequestros ocorridos em 2012 na cidade de Campina Grande e garantiu que é baixo o número de crimes deste tipo.


Você sabia que o Jornal da Paraíba está no Facebook, Instagram, Youtube e Twitter? Siga-nos por lá. Encontrou algum erro? Entre em contato.